terça-feira, 23 de abril de 2013

Doutrina Cristã - Parte 37

Nota do blogue: Acompanhar esse Especial AQUI.

Monsenhor Francisco Pascucci, 1935, Doutrina Cristã, 
tradução por Padre Armando Guerrazzi, 2.ª Edição, biblioteca Anchieta.

XII. — INVOCAÇÃO DE MARIA SANTÍSSIMA E DOS SANTOS

Conveniência e utilidade

            82. - A Santa Igreja nos ensina a interpor aos pés de Deus, nas preces, a intercessão de Maria Santíssima e dos Santos. Com isso não demonstramos desconfiar de Jesus Cristo, único mediador nosso, mas fazemos coisa a Deus gratíssima, pois invoca­mos como intercessores junto d’Ele os que, pelo exer­cício das virtudes, se tornaram amigos de Deus e foram por Deus particularmente favorecidos.

            A Santíssima Virgem, na qualidade de Mãe de Deus, é a advogada mais poderosa junto de Jesus Cristo, e impossível é que não seja por Ele ouvida. Sobretudo, é mãe nossa, dada aos homens por Jesus Cristo, na cruz, na pessoa de São João, e, como tal, nos ama e protege por ser terníssima e delicada.
            Os santos são amigos de Deus, a quem nesta vi­da serviram fielmente. Por onde, em virtude dos méritos de Jesus Cristo, e pela caridade que os une a Deus e a nós, nos ajudam com a sua intercessão a obter as graças que lhes pedimos. É este um dos grandes bens da Comunhão dos Santos.

Ave Maria

            83. - Invocamos, especialmente, a Santíssima Virgem com a Ave Maria ou saudação angélica.
            Essa oração compõe-se:
a)      das palavra com que o Arcanjo Gabriel sau­dou a Maria Virgem, quando Lhe anunciou o mistério da Encarnação: “Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo, bendita és entre as mulheres;
b)      das palavras com que Santa Isabel saudou a Ma­ria, Sua prima, quando esta a foi visitar;
c)      das palavras de invocação, acrescentadas pela Igreja: “Santa Maria, mãe de Deus” etc., com que pedimos a proteção da Santíssima Virgem no decurso desta vida mortal e particularmente na hora de nossa morte, ocasião em que da intercessão de Maria maior necessidade teremos nós.

Santo Rosário

            84. - Entre as várias devoções a Maria, a Igreja recomenda especialmente a recitação do Santo Rosário.
            É uma forma de oração mental e vocal ao mes­mo tempo, visto como à recitação repetida do Padre Nosso, Ave Marias e Gloria Patri, se uni a medita­ção dos principais mistérios e fatos da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Virgem Santíssima, distribuídos em quinze mistérios: cinco gozosos, cinco dolorosos e cinco gloriosos.

Devoção aos Anjos e aos Santos

            85. - Os cristãos devem professar particular devoção ao Anjo da Guarda, invocando-o amiúde, especialmente nas tentações, com o "Anjo de Deus”. — “Angelus Dei”.
            Entre os santos, convém invocar frequentemen­te a São José, patrono da Igreja universal e Protetor de boa e santa morte, os Santos Apóstolos e o Santo cujo nome temos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...