terça-feira, 30 de abril de 2013

A tibieza - Sacerdote

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

(Jesus Cristo falando ao coração do Sacerdote, ou meditações eclesiásticas para todos os dias do mês, escritas em italiano pelo Missionário e doutor Bartholomeu do Monte traduzidas pelo Pe. Francisco José Duarte de Macedo, ano de 1910)


            I. — Filho, tu, "porque não cometes pecados graves, porque fazes algum bem, julgas possuir a Minha amizade; e, vendo outros muitos piores que tu, consolas-te dizendo: Não sou como aquele desonesto, como aquele avarento, como aquele escandaloso, como aquele sacrílego: jejuo, digo Missa, rezo o Oficio divino, faço algumas esmolas... Mas quantas mais obras boas poderias fazer em proveito teu e do próximo! Não fazem muito mais que tu tantos seculares, tantas pobres mulheres? Não exigirá o teu caráter que faças alguma coisa mais do que eles?

A condenação - Sacerdote

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

(Jesus Cristo falando ao coração do Sacerdote, ou meditações eclesiásticas para todos os dias do mês, escritas em italiano pelo Missionário e doutor Bartholomeu do Monte traduzidas pelo Pe. Francisco José Duarte de Macedo, ano de 1910)


            I. — Considera bem, filho, e vê que no mundo, principalmente neste nosso tempo, não há coisa que se julgue mais fácil, mais cômoda e mais agradável que a vida dum pastor, Sacerdote ou diácono, quando só se guardam as aparências, e se exercem tais ministérios superficialmente, e adulando o mundo em suas desordens.

Teologia prática

Fonte: Mãe Cristã

Nos livros sagrados está escrito que os filhos de Deus formam uma nação que vive de amor e de obediência. Estas breves palavras resumem a doutrina pregada por Jesus Cristo ao mundo; porquanto, no cristianismo, tudo é amor e caridade e a felicidade do homem, bem como a Sua glória imortal, consiste em apreciar, compreender e praticar esta divina teologia.

FECUNDIDAD DE LA CRUZ

Robert de Langeac
La vida oculta en Dios


Tu Esposa, Dios mío, domina el mundo desde lo alto de su amor. Pero su dominación nada tiene de duro ni de tiránico. Es todo benignidad y bondad. Esta alma ha sido situada graciosamente por encima de las demás. Ella lo sabe y lo vetan claro como el día.

LA UNIÓN SE REALIZA EN LA CRUZ

Robert de Langeac
La vida oculta en Dios


Los signos del afecto de Dios revisten dos formas muy diferentes: tan pronto son agradabilísimos y muy dulces, como son dolorosos y crucificantes. Dios exalta el alma, y la rebaja. La colma, y luego la aplasta.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Coroinha de Nossa Senhora das Dores

Nota do blogue: Montei esse simples cartão com a Coroinha de Nossa Senhora das Dores. Mandei revelar como foto e plastificar, ficou bem razoável. Fica a dica!


Novena ao Menino Jesus de Praga

Nota do blogue: Montei esse simples cartão com a Novena do Menino Jesus de Praga. Mandei revelar como foto e plastificar, ficou bem razoável. Fica a dica!


O DIVÓRCIO E A PROLE

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946
O DIVÓRCIO E A PROLE
20 de Agosto de 1940

            Vamos estudar hoje — o divórcio e a prole — em continuação ao estudo sobre o sétimo Sacramento.
            Falando ao mundo universo, em sua Encíclica sobre o Matrimônio, disse Pio XI: “O que mais impede a restauração e a perfeição do Matrimô­nio instituído por Cristo Redentor é a sempre cres­cente facilidade dos divórcios”.

INDISSOLUBILIDADE DO MATRIMÔNIO

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946

INDISSOLUBILIDADE DO MATRIMÔNIO
19 de Agosto de 1940

            Vejamos a indissolubilidade do Matrimônio, em face do direito natural e do direito divino. Quanto ao direito natural, assim se prova: o fim primordial do casamento é a procriação e a educação da prole.
            É preciso conservar a espécie humana — eis o que prescreve a própria natureza, em suas leis gerais e imutáveis.

UNIDADE DO MATRIMÔNIO

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946
UNIDADE DO MATRIMÔNIO
16 de Agosto de 1940

            Entremos a estudar as propriedades do Matri­mônio. Em primeiro lugar a unidade.
            Esta unidade, dizia o Santo Padre Pio XI, é exigida pela fidelidade conjugal; e isto mesmo indicou o Criador no casamento dos nossos primei­ros Pais, querendo que este não se realizasse senão entre um só homem e uma só mulher. E embora o mesmo Legislador Eterno afrouxasse a primiti­va disciplina, admitindo a poligamia, — não há dúvida nenhuma que a lei evangélica restituiu ao Matrimônio a sua beleza primitiva na perfeita uni­dade. É o que se patenteia nas palavras de Jesus Cristo e na praxe constante e invariável da Igreja.

LEI RELIGIOSA E LEI CIVIL

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946
LEI RELIGIOSA E LEI CIVIL
            14 de Agosto de 1940

            Prosseguindo em nosso estudo sobre o Matri­mônio, veremos hoje: Lei religiosa — Lei civil.
            Leão XIII, na citada encíclica “Arcanum”, diz: “Tendo Jesus Cristo restaurado com tanta perfei­ção o Matrimônio, entregou e confiou à sua Igreja toda a disciplina que deve regulá-lo”. — E a Igreja em todos os tempos e lugares exerceu esse poder sobre os casamentos cristãos e tem desempenhado essa missão de maneira a provar que tal poder lhe pertence, e que não deriva de qualquer con­cessão dos homens, mas sim que lhe foi outorgado pela vontade do seu divino Fundador.

MINISTRO, MATÉRIA E FORMA DO MATRIMÔNIO

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946

MINISTRO, MATÉRIA E FORMA DO MATRIMÔNIO
13 de Agosto de 1940

            Veremos hoje — ministro, matéria e forma do Sacramento do Matrimônio.
            Os ministros do Matrimônio são os próprios contraentes, e não o sacerdote que abençoa as núpcias.
            Nos tempos antigos celebrava-se assim o casamento: os esposos apresentavam-se diante do sacerdote, à porta da igreja; em seguida, dando-se as mãos, pronunciavam o consentimento, em que, com muita razão, se fazia consistir toda a essên­cia do Sacramento do Matrimônio. Depois entravam no templo.[1]

ESSÊNCIA DO MATRIMÔNIO

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946
ESSÊNCIA DO MATRIMÔNIO
12 de Agosto de 1940

            Veremos hoje a essência do Sacramento do Ma­trimônio.
            O Matrimônio legitimamente celebrado entre cristãos é um Sacramento propriamente dito. — Eis uma verdade de Fé, como definiu o Concílio Tridentino.[1]
            Assistindo àquelas núpcias em Caná da Galiléia e operando então o seu primeiro milagre, Jesus Cristo elevou o casamento à sua primitiva digni­dade.

LIMITAÇÃO DA NATALIDADE

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946
LIMITAÇÃO DA NATALIDADE
9 de Agosto de 1940

            Veremos hoje: Matrimônios fecundos. — Dimi­nuição da natalidade.
            Se, criando o ser inteligente e livre, Deus pre­ceitua: “crescei e multiplicai-vos e povoai a terra”- o fim da união é a procriação.
            Os esposos, muitas vezes, fogem ao cumpri­mento desta lei divina. Erram evidentemente.

Humildade e mansidão

Fonte: Mãe Cristã

A virtude evangélica por excelência, a que sustenta todas as outras e de algum modo as substitui, quando elas faltam, é a humildade.
               A gente pode santificar-se e entrar no céu, diz São Clímaco, sem nunca ter feito milagres, nem ações brilhantes; mas ninguém será jamais admitido na celeste pátria, sem ter sido manso e humilde de coração, a exemplo de N. S. Jesus Cristo.

domingo, 28 de abril de 2013

O Inferno - Sacerdote

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

(Jesus Cristo falando ao coração do Sacerdote, ou meditações eclesiásticas para todos os dias do mês, escritas em italiano pelo Missionário e doutor Bartholomeu do Monte traduzidas pelo Pe. Francisco José Duarte de Macedo, ano de 1910)


            I. — Filho, tu ensinas aos outros que, por maiores que sejam as penas que podem padecer-se nesta vida, são pouco ou nada em comparação daquele fogo eterno.
            Ah! infeliz de ti! Aquele fogo, aceso pela Minha onipotente justiça, constituído conhecedor discreto da maior gravidade das tuas culpas, será muito mais cruciante e feroz contra ti, que contra os outros precítos!

O Juízo (Conclusão) - Sacerdote

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

(Jesus Cristo falando ao coração do Sacerdote, ou meditações eclesiásticas para todos os dias do mês, escritas em italiano pelo Missionário e doutor Bartholomeu do Monte traduzidas pelo Pe. Francisco José Duarte de Macedo, ano de 1910)


            I. — Filho, está certo que quanto mais terrível e severo for o Meu Juízo para com os pecadores, tanto mais amável e suave será para com os Meus eleitos.
            Se Me tiveres amado, se tiveres trabalhado santamente por Mim, ditoso de ti naquele dia: será para ti dia de dulcíssima segurança! Levanta desde já tranquilo a fronte; porque aquele será o dia da tua salvação.
            Arrebatado ao ar, no meio dos coros dos Anjos, aparecerás em Minha presença [1]; e, separado dos pecadores, esperarás cheio de alegria e confiança o julgamento de um justo Juiz, que, amado, obedecido e imitado por ti, te será totalmente favorável e empenhado em te exaltar.
            Oh! quanto bendirás então o teres fugido do mundo, e teres sido contrário a suas perversas máximas e fatais lisonjas!

Auto da Alma (Gil Vicente)

ARGUMENTO


Assim como foi coisa muito necessária haver nos caminhos estalagens, para repouso e refeição dos cansados caminhantes, assim foi coisa conveniente que nesta caminhante vida houvesse uma estalajadeira, pera refeição e descanso das almas que vão caminhantes para a eternal morada de Deus. Esta estalajadeira das almas é a Madre Santa Igreja, a mesa é o altar, os manjares as insígnias da Paixão. E desta prefiguração trata a obra seguinte.

Figuras: Alma, Anjo Custódio, Igreja, Santo Agostinho, Santo Ambrósio, S. Jerônimo, S. Tomás, Dois Diabos.

Este Auto presente foi feito à muito devota Rainha D. Leonor e representado ao mui poderoso e nobre Rei Dom Emanuel, seu irmão, por seu mandado, na cidade de Lisboa, nos Paços da Ribeira, em a noite de Endoenças. Era do Senhor de 1518.

Está posta uma mesa com uma cadeira. Vem a Madre Santa Igreja com seus quatro doutores: S. Tomás, S. Jerônimo, Santo Ambrósio e Santo Agostinho. E diz Agostinho:

AGOSTINHO Necessário foi, amigos,
que nesta triste carreira
desta vida,

EL ALMA INTERIOR ES MÁS O MENOS INCOMPRENDIDA

Robert de Langeac
La vida oculta en Dios


Muchas almas aun piadosas, no comprenden los impulsos del alma interior, su verdadero estado, lo que legítima sus actos. ¿Hemos de asombrarnos de ello? ¡Nada de eso! Para juzgarla con verdad sería menester poseer una ciencia muy profundizada de los efectos misteriosos del Amor divino o sufrir uno mismo del mal que ella padece. Eso es muy raro.

EL ALMA ES ABSORBIDA POR DIOS

Robert de Langeac
La vida oculta en Dios


Durante las duras pruebas que ha tenido que soportar para conquistar tu amor, duran te tus largas ausencias, ¡oh Jesús!, el alma interior no ha permanecido inactiva. Con sus trabajos, y sobre todo con sus pensamientos, ha sabido componer una miel dulcísima, de delicioso perfume. Ahora te la ofrece. Dígnate aceptarla. Le parece a esta alma como si fuera comida, absorbida por Ti. Sin embargo, no pierde lo que tiene ni la conciencia de lo que es. Y, a pesar de todo, se convierte en tu misterioso alimento, toda ella íntegra, sustancia y actos. Se convierte en Ti, sin que tengas Tú que adquirir nada, propiamente hablando. El cambio se opera íntegro en ella. Es ella la que se ha convertido en Ti. "… al contrario, tú te mudarás en mí." (San Agustín). Verdad es que sigue siendo sustancialmente lo que es, y, sin embargo, ya no es la misma, Ve, piensa, ama, obra como Tú, contigo, en Ti. Si no está transustanciada, está transformada.

sábado, 27 de abril de 2013

Amor do próximo - Quinta Parte

Nota do blogue: Acompanhar esse Especial AQUI.
Cônego Júlio Antônio dos Santos
O Crucifixo, meu livro de estudos - 1950

Ofensas à vida espiritual
Escândalo
            Que é o escândalo?

            O escândalo é uma palavra, ação ou omissão capaz de levar o próximo a fazer o mal ou a deixar de praticar o bem.

1.      Escândalo por palavras. — Escanda­liza-se por palavras, falando contra a fé, afir­mando, por exemplo, que Deus não existe, que tudo acaba na morte e outras impiedades seme­lhantes. Muitas vezes, não é preciso mais para abalar a fé das pessoas simples e até fazer-lha perder completamente.— Escandaliza-se por palavras, falando contra a religião e seus minis­tros, fazendo assim perder o respeito a que têm direito e de que têm necessidade para cumprir o seu ministério com proveito.

Amor do próximo - Quarta Parte

Nota do blogue: Acompanhar esse Especial AQUI.
Cônego Júlio Antônio dos Santos
O Crucifixo, meu livro de estudos - 1950

Pecados de ações contra o próximo

            Compreendem todas as ações que ofendem o próximo como: a agressão, o assassinato, o escândalo. «Não matar!» Não devemos danificar a vida natural do próximo, isto é, a vida do corpo, nem prejudicar a sua vida sobrenatural isto é, a vida da alma provocando o pecado pelo escândalo.

Ofensas à vida natural
            A vida natural ou do corpo fica prejudicada pelo suicídio, pelo homicídio e pela briga.

Fé e confiança


A fé não tem o significado restrito em que vulgarmente é tomado. A fé será incompleta se consentir apenas em crer e em recitar o símbolo. A fé viva implica ao mesmo tempo a crença e a confiança; e tal é também a significação da palavra latina fides. Quando dizeis: - Eu possuo um amigo verdadeiro, creio e tenho fé nele – não pretendeis somente exprimir a vossa fé ou crença na existência deste amigo; mas quereis dizer: - Eu conto com ele, descanso sem temor nos seus sentimentos e tenho confiança em sua palavra e em sua afeição.

Doutrina Cristã - FINAL

Nota do blogue: Verificar especial completo AQUICom este post finalizo a transcrição desse catecismo, espero que essa leitura possa edificar a muitos, em especial as crianças. Em breve, com a graça de Deus, teremos esse catecismo publicado, rezemos. 

Indigna escrava do Crucificado e da SS. Virgem,
Letícia de Paula

Monsenhor Francisco Pascucci, 1935, Doutrina Cristã, 
tradução por Padre Armando Guerrazzi, 2.ª Edição, biblioteca Anchieta.

IV. — TEMPO DO CULTO

            32. - TEMPOS DESTINADOS AO CULTO DIVI­NO. — Todo tempo é de Deus e, em qualquer tempo, o homem tem o dever de honrá-lO. A Igreja, mãe dos cristãos, estabeleceu, entretanto, prazos determina­dos, em que se preste a Deus o culto em forma oficial, em nome de toda a sociedade cristã. Pelo que, dia­riamente, pessoas a isso deputadas recitam o ofício divino; toda semana, aos Domingos, a celebração do sacrifício divino reúne os fiéis no templo sagrado em torno do sacerdote; no correr do ano, recordam-se os grandes mistérios da redenção e daqueles que, pela vida virtuosa, são propostos como exemplos e am­paro ao povo cristão.

LA VIRGEN MARÍA, PREFERIDA DE DIOS

Robert de Langeac
La vida oculta en Dios


Bien miradas las cosas, Dios mío, parece que esa alma privilegiada, verdaderamente única, a la que llamas en el Cantar «mi paloma, mi inmaculada», que no excita los celos de ninguna alma, sino que, por el contrario, despierta la admiración y la alabanza de todas, es la dulce y pura Virgen Maria, nuestra Madre. Sólo a Ella se aplican tus magníficas palabras, sin restricción y sin límites.

DIOS ELOGIA AL ALMA SU BELLEZA

Robert de Langeac
La vida oculta en Dios

Nada es tan dulce al corazón de tu Esposa, Dios mío, como oírte hacer el elogio de su propia belleza. Y no por vanidad de su parte; no, en absoluto. Demasiado bien sabe que todo lo que tiene lo tiene de Ti. Lo que le agrada es agradarte. Lo que le encanta es encantarte a Ti. Toda alma que comprende lo que Tú eres no debería tener otra ambición que ésa: atraer tus miradas y retenerlas por su auténtica belleza.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Pensamento da noite de 26/04/2013


JHS 
(Durval de Moraes)

Cruz de carne a sangrar sobre o Calvário. 
Fim de vida no céu de um fim de dia... 
Silêncio, solidão, treva, agonia, 
Vindo os olhos fechar ao Solitário! 

Hóstia de expiação da grei sombria?! 
Oh! Que loucura, Excelso Visionário! 
É quanto restará do teu fadário, 
Fria carne a morrer na noite fria? 

Dá-me que eu beba, Pecador sem crime, 
Nas cinco fontes dessas cinco chagas, 
O sangue que alimenta e que redime... 

E dando leve pela vida escura, 
Entre as bênçãos dos homens e entre as pragas, 
Tua Cruz, teu Amor, tua Loucura.

O Juízo - Sacerdote (Continuação)

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

(Jesus Cristo falando ao coração do Sacerdote, ou meditações eclesiásticas para todos os dias do mês, escritas em italiano pelo Missionário e doutor Bartholomeu do Monte traduzidas pelo Pe. Francisco José Duarte de Macedo, ano de 1910)


            I. — Infeliz de ti, filho, se não procuras viver como Sacerdote! O dia do Juízo será para ti dia de horror, dia de angústia e de trevas.
            Para tomar vingança de tens crimes armarei contra ti o Céu, a terra, os elementos, os Anjos, os demônios, todas as criaturas. Todos os Santos, que agora podiam ser teus protetores, empunharão comigo a espada vingadora. Minha Mãe, Maria Santíssima, agora Mãe de misericórdia, te aparecerá então terrivelmente irada.

O Juízo - Sacerdote

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

(Jesus Cristo falando ao coração do Sacerdote, ou meditações eclesiásticas para todos os dias do mês, escritas em italiano pelo Missionário e doutor Bartholomeu do Monte traduzidas pelo Pe. Francisco José Duarte de Macedo, ano de 1910)


            I.—Filho, se em Meu tribunal hei de pedir rigorosas contas aos seculares, quanto mais rigorosas hei de pedi-las a ti, que contraíste mais graves deveres? Vem cá, dir-te-ei, vem e, não só como homem e como cristão, mas também como Sacerdote, dá-me contas da Minha lei, da tua dignidade, do exercício do teu ministério, dos dons que recebeste, das tuas culpas e até das dos outros.

DIOS Y EL ALMA SE ENCANTAN MUTUAMENTE/ NADA GUSTA TANTO A DIOS COMO UN ALMA QUE SE IGNORA A SÍ MISMA

Robert de Langeac
La vida oculta en Dios


DIOS Y EL ALMA SE ENCANTAN MUTUAMENTE

Tú amaste al alma, Dios mío, le comunicaste tu Vida, la embelleciste. Y el alma se te parece ahora hasta la confusión. La has encantado. Pero ella, a su vez, te encanta. Y ahora estáis como misteriosísimamente unidos por unos vínculos que no se ven con los ojos del cuerpo ni con los de la imaginación, que tampoco se cogen con las manos y que, sin embargo, son muy reales, muy dulces y muy fuertes. Atracción libre e irresistible que os mantiene vueltos uno hacia la otra, mutuamente unidos, arrobados, prendados una del otro. Y el alma se da cuenta de que te envuelve con su dulce influencia, del mismo modo que ella misma se siente totalmente penetrada por la tuya, ¡oh Dios mío!

EL ALMA CANTA

Robert de Langeac
La vida oculta en Dios


Hablar, y sobre todo cantar, es expresar en alta voz, sin temor, con felicidad, con entusiasmo, aun los sentimientos más íntimos del corazón con respecto a Ti. Tú tienes derecho, y pleno derecho, a esa manifestación sensible de la estima que el alma te tiene y del afecto que por Ti siente. Por lo demás, esa ley se impone imperiosamente al alma interior, al menos en ciertas horas... Pues si entonces le fuera preciso callar su amor, se ahogaría.

A boa vontade

Fonte: Mãe Cristã


Nossa vida presente e por vir depende da direção da nossa vontade: será boa ou má, segundo o móvel que a leva e o fim que se propõe... É pela vontade que o homem é o que é: ela dá a todos os atos da vida o seu valor e o seu caráter. Onde não há vontade, não há vícios, nem virtudes, nem pecados, nem méritos. Aos homens de boa vontade o Evangelho oferece a paz; mas de modo nenhum há paz para a vontade pervertida. Não confundamos contudo a boa vontade com as frivolidades.

A Igualdade é Contra Deus

Fonte: Borboletas ao Luar
Por Hector El Cruzado
Traduzido por Andrea Patrícia


A diversidade de criaturas e seu escalonamento hierárquico são um bem em si mesmo.
É cada vez mais comum ouvir falar de "educação igualitária", "relações sociais igualitárias", igualdade de salários, etc. Assim, a desigualdade está sendo apresentada como hostil, injusta, cruel, anticristã.
Na verdade, não se trata tanto sobre se deveria haver patrões e funcionários; não se trata de saber se deve haver quem manda e quem obedece. A questão é algo mais profundo: No universo, a igualdade é um bem ou um mal? Fugir dessa questão é escapulir do fundo do problema.
Claro que isso não significa que a desigualdade é sempre e necessariamente um bem.
Quais são então os limites da igualdade e da desigualdade justas?

Doutrina Cristã - Parte 41

Nota do blogue: Acompanhar esse Especial AQUI.

Monsenhor Francisco Pascucci, 1935, Doutrina Cristã, 
tradução por Padre Armando Guerrazzi, 2.ª Edição, biblioteca Anchieta.

III. — ATOS DO CULTO

            São atos principais do culto público: — a santa Missa — o Ofício divino — a administração dos sa­cramentos — as bênçãos — as procissões religiosas — as exéquias.

1.º A SANTA MISSA
Noções fundamentais

            19. - Ato central do culto católico é o sacri­fício da Missa, no qual Jesus, Pontífice eterno de nos­sa fé, por meio dos seus sacerdotes, se oferece, em­bora de modo incruento, ao eterno Pai pela salvação do mundo, assim como Ele Se ofereceu no Calvário no dia da Parasceve ou sexta-feira santa.
            Ponto culminante na vida da Igreja, a sacra li­turgia o revestiu das mais esplêndidas formas, de mo­do que a santa Missa, especialmente quando celebra­da em rito solene, com assistência de ministros sagrados, que circundam o celebrante, as sacras melo­dias e as cerimônias prescritas, — constitui uma espécie de drama sacro de encantadora beleza e sugestão.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Pensamento da noite de 25/04/2013


Rimas sacras, Soneto XVIII 
(Lope de Vega)

¿Qué tengo yo que mi amistad procuras?
¿Qué interés se te sigue, Jesús mío, 
que a mi puerta, cubierto de rocío, 
pasas las noches del invierno escuras? 

¡Oh, cuánto fueron mis entrañas duras,
pues no te abrí! ¡Qué estraño desvarío 
si de mi ingratitud el yelo frío 
secó las llagas de tus plantas puras! 

¡Cuántas veces el ángel me decía:
Alma, asómate agora a la ventana, 
verás con cuánto amor llamar porfía! 

¡Y cuántas, hermosura soberana:
Mañana le abriremos -- respondía --, 
para lo mismo responder mañana!

Do fim do mundo e do que a ele se seguirá - Santo Tomás de Aquino

Nota do blogue: Agradeço a generosidade do amigo Fabrício pelo envio do texto. Deus lhe pague.

(A Suma Teológica em forma de Catecismo, 
Santo Tomás de Aquino, Páginas 257 à 265)

XLIX
DO FIM DO MUNDO E DO QUE A ELE SE SEGUIRÁ 

- Dissestes que, no momento em que o último predestinado chegue ao grau de preparação e merecimento a que Deus o destina, sobrevirá o fim do mundo; em que consistirá tal fim e que ordem de coisas se seguirá? Consistirá, exclusivamente em trasladar para o céu o último eleito, e em determinar o estado e lugar definitivo que hão de ocupar os condenados no inferno e as crianças no limbo?

- Não, Senhor; ao fim do mundo se seguirão os dois atos mais transcendentais e importantes da obra e plano divino; a ressurreição e o juízo final.

- Como acabará este mundo?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...