terça-feira, 15 de abril de 2014

Lançamento de Questões Gramaticais - Página do Professor Carlos Nougué

Nota do blogue: É com grande alegria que divulgo mais essa conquista do amigo e professor Nougué. Parabéns e que Deus o ajude.

Lançamento de

Questões Gramaticais

Página do Professor

Carlos Nougué

 
Ver especialmente:

1) a Apresentação da página;

2) a Notícia biográfica;

3) o primeiro vídeo.

A prevenção mais desfavorável [...] é a daqueles que julgam que em gramática as definições inadequadas, as classificações malfeitas, os conceitos falsos carecem de inconveniente, desde que, por outro lado, se exponham com fidelidade as regras a que se conforma o bom uso. Eu creio, contudo, que essas duas coisas são inconciliáveis, que o uso não pode expor-se com exatidão e fidelidade senão analisando os princípios verdadeiros que o dirigem, porque uma lógica severa é indispensável requisito de todo e qualquer ensino.”
Andrés Bello

“O que um ensino gramatical rudimentar, combinado com a ação dos media, propicia nos dias de hoje no Brasil não é mais que uma trivial compreensão mútua de gaúchos e nortistas, porque de fato não só desaparece em geral a capacidade de escrita, mas a mesma capacidade de discurso articulado e profundo – o que infelizmente também se manifesta, e em ampla escala, em nosso próprio meio acadêmico. Pois o que por reflexo propicia mais cabalmente o bem falar é o ler bons autores e o bem escrever, tudo o que, por sua vez, não é propiciado senão pelo ensino não rudimentar da Gramática.”
Carlos Nougué

domingo, 13 de abril de 2014

Catecismo - 14/04/2014

O CATECISMO SEGUNDO O EVANGELHO

O livro das mães e das senhoras catequistas, 
para partir o pão às criancinhas, 
do Abbé Eug. Charles, 
professor do Curso de religião na Escola Católica e Paris,
edição de 1936.


____________________________________________________________________


 “Creio em Deus Padre, todo-poderoso, Criador do céu e da terra”.

A santíssima Trindade e a criação do mundo
(Gn 1, 1-25).

No princípio Deus criou o céu e a terra. A terra, porém, estava informe e vazia; tre­vas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas.

Disse Deus: Faça-se a luz; e a luz foi feita.

Disse Deus: Que haja luzeiros na imensidão do céu, para separar o dia da noi­te. E assim foi: Deus fez as duas grandes lu­zes, a maior (o sol), para o dia, a menor (a lua), para a noite. E fez também as estrelas.

Disse Deus: Que as águas que estão de­baixo do céu se reúnam todas num só lugar — o mar — e que apareça o continente, isto é, a terra enxuta. E assim foi.

Deus disse: Haja peixes na água e que os pássaros voem por sobre a terra. E assim foi.

Depois disse Deus: Que a terra se cubra de plantas, ervas e árvores frutíferas. E assim se fez.

Disse ainda Deus: Que da terra saiam animais domésticos, repteis e feras. E assim foi.
Contemplando tudo, verificou Deus que estava bem.

Comentário catequístico

sexta-feira, 11 de abril de 2014

A mulher como deve sê-lo - Parte 1 - Final

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

"Proscritas do mundo, a Beleza Suprema vos vê chegar; para vós Se inclina com ternura, consola-vos com a es­perança que em Sua misericórdia e bondade acalentais, restitui-vos a paz da consciência com Seu perdão, purifica-vos com Sua graça; e, sem de novo fazer brilhar em vosso rosto essa formosura que outra vez poderia iludir-vos, dá-vos, com a juventude duma fé viva, as alegrias puras duma caridade ardente."

Perfeito! Há muito tempo venho tentando escrever sobre esse assunto... como é bom ser socorrida pela Providência divina, com suavidade e sem deixar de nos colocar em nossos devidos lugares.

Letícia de Paula

A MULHER

COMO DEVE SÊ-LO

PELO
R.P. MARCHAL
MISSIONÁRIO APOSTÓLICO

VERSÃO DA 12.ª EDIÇÃO FRANCESA
POR
M.J. DE MESQUITA PIMENTEL
1872


Sob um ponto de vista mais belo ainda, a mulher e a piedade são simpáticas. Adivinhastes meu pensa­mento, e, sem querer profaná-la, pronunciastes a pala­vra — amor — Como disse, o homem representa a humanidade duma maneira especial, pela força e pela ra­zão: estava reservado à mulher representá-la sob uma forma mais amável e mais gloriosa, isto é, pelo cora­ção.  O coração!... dele muitas vezes causa de nossos sofrimentos, mas também, quando nos falta, é raro, que não soframos. A fria razão, por si só, nunca fez coisa notável por Deus ou pelo homem. Uma mulher que só faz alardo do seu espírito não serve para nada ao passo que uma outra que tem coração serve para tudo, pelo simples motivo de que um espírito pretensioso e, o mais das vezes, superficial e presuntuoso, pode não ter coração, enquanto que um coração bem for­mado tem de ordinário, muito espírito. Eis o que deu azo a que dissesse um grande orador, fazendo sorrir seus ouvintes: Se devêramos erguer altares na terra a alguma entidade humana preferiria eu adorar o pó do coração a curvar-me ante o pó do gênio.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

A Pérola Preciosa - 6.º Mistério

Nota do blogue: Acompanhar esse especial AQUI.

A PÉROLA PRECIOSA

Breves pensamentos sobre o Rosário meditado, para sacerdotes.
pelo
Padre Wendelin Meyer, O.F.M.
Tradução portuguesa por
Alberto Maria Kolb



6.º MISTÉRIO
O GETSÊMANI DO PADRE!

O discípulo não é mais que o Mestre; as horas amargas do Jardim das Oliveiras de Nosso Senhor Jesus Cristo estão preparadas também para o Alter Christus. O que as velhas e veneráveis oliveiras viram e ouviram, isto contem­plam — apesar de ser somente um fraco eixo, uma pequenina imagem ou cópia da crudelíssima noite do Jardim das Oliveiras— isto também contemplam e escutam os quartos solitários, o confessionário, os caminhos daqueles sacerdotes que tomam a sério a sua santa e sublime voca­ção!

O que nos anunciam as páginas dos Evan­gelistas tão singela e simplesmente, isto mesmo nos deixa lançar um olhar bem profundo na ver­dadeira vida sacerdotal. Na meditação do 1.º Mistério veremos o Getsêmani do sacerdote. Contemplaremos e aprofundaremos não só os sofrimentos e a oração do Mestre, mas tam­bém do discípulo.

O Mestre sofreu: ao ver o pecado; — prevendo as dores físicas; — abandonado; — orando; — confortado por um anjo.

  • Ao ver o pecado.

domingo, 6 de abril de 2014

Toda segunda-feira! Catecismo aqui no blogue.

Nota do blogue: Julgando de capital importância o ensino do catecismo às crianças (dado pelas mães, em especial), venho transcrever essa obra que providencialmente caiu em minhas mãos (aqui agradeço e rezo pela família do benfeitor)... O CATECISMO SEGUNDO O EVANGELHO - O livro das mães e das senhoras catequistas, para partir o pão às criancinhas, do Abbé Eug. Charles, professor do Curso de religião na Escola Católica e Paris, edição de 1936.

Toda segunda-feira será publicado aqui no blogue um post divulgando essa obra muito rica.

Que Nossa Senhora nos ajude nesse trabalho e lutemos pela santificação das criancinhas.

Indigna escrava do Crucificado e da SS. Virgem,
Letícia de Paula

_________________________________

O CATECISMO SEGUNDO O EVANGELHO

O livro das mães e das senhoras catequistas, 
para partir o pão às criancinhas, 
do Abbé Eug. Charles, 
professor do Curso de religião na Escola Católica e Paris,
edição de 1936.


As mães e aos catequistas de nossas crianças

É necessário que se lembrem sempre de suas responsabilidades.

Nada poderíamos escrever sobre o ensino catequista, sem primeiro nos dirigirmos às mães.
Pois, por direito, a elas compete iniciar seus filhos na vida cristã.
Ninguém lhes pode tirar o direito sagrado que esta missão lhes confere. A própria Igreja, que as auxilia a compreender melhor e a melhor cumprir esse dever, não poderia dispensá-las dele, sem in­verter a ordem da natureza e da graça.
A questão mais grave no catecismo todo, talvez seja a que responsabiliza os pais pelo pão da dou­trina divina que eles têm obrigação de dar a seus filhos.
Que devem fazer os pais para a instrução reli­giosa de seus filhos?
Para a instrução religiosa de seus filhos, os pais devem, primeiro, instruí-los eles próprios, e quando atingirem a idade da razão, mandá-los a um sacerdote.

Os pais devem primeiro instruí-los eles próprios.

A mulher como deve sê-lo - Parte 1 - d

 Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI

A MULHER

COMO DEVE SÊ-LO

PELO
R.P. MARCHAL
MISSIONÁRIO APOSTÓLICO

VERSÃO DA 12.ª EDIÇÃO FRANCESA
POR
M.J. DE MESQUITA PIMENTEL
1872


Para todos, assim para o homem, como para a mu­lher, é mesclado de dissabores o viver na terra; a vida tem seus momentos dolorosos. Podemos, todavia afirmar, sem receio de errarmos, que a mulher está naturalmente mais exposta aos sofrimentos que o homem, e que a soma de suas dores escapa a toda a compara­ção. A mulher sofre muito, porque é mais fraca, mais sensível, e a ela foi dito: Parirás teus filhos, no meio de dores. Sofre muito, por que não tem tantos meios, como o homem, de suportar suas dores; sendo que sua vida é mais íntima, menos ativa, e menos distraída pelos grandes pensamentos, e pelas grandes ocupações de todo o gênero. Sofre, sobretudo, porque seu cora­ção é mais delicado, e semelhante a essas harpas etólias, cujas cordas vibravam ao mais leve sopro, este co­ração impressiona-se vivamente ao mais ligeiro choque de aflição moral. Qual é a mulher que passa um ano, sem derramar lágrimas, quer a Providência a fizesse nascer numa choupana, quer rodeasse dos fulgores falazes da opulência? Quantas há que, fechadas no seu oratório, enojadas dos prazeres que, longe de distraí-las, as fatigam, lançam um olhar melancólico por so­bre essas futilidades que brilham aos olhos das que por elas tanto suspiram, e, na amargura de sua alma, las­cada de pesar, exclamam: O mundo julga-me feliz e eu choro!

A mulher como deve sê-lo - Parte 1 - c

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI

A MULHER

COMO DEVE SÊ-LO

PELO
R.P. MARCHAL
MISSIONÁRIO APOSTÓLICO

VERSÃO DA 12.ª EDIÇÃO FRANCESA
POR
M.J. DE MESQUITA PIMENTEL
1872


O Salvador é criador à mulher de muito amor, pois Ele colocou-a nas mais vantajosas condições da salvação eterna. É-nos mais custoso perdermo-nos, do que salvarmos-nos, e pode até afirmar-se que os réprobos o não são, sem muito fazerem por isso; não podem negá-lo, se forem sinceros. O homem, todavia, encontra no caminho da salvação muitos obstáculos que a mulher desconhece: e a salvação, a todos possível, torna-se para ela uma empresa, pouco difícil, por pouco que se preste com o divino auxílio, a corresponder aos gene­rosos instintos de sua natureza.

Distingo na religião cristã três faces principais que, em resumo, a pintam: a face ignominiosa, a face dolorosa, e, se me é licito chamar-lhe assim, a face amo­rosa. Ora, sob estes três pontos de vista, a religião, a piedade devem encontrar naturalmente mais fácil acesso no espírito da mulher, que do homem.

A Pérola Preciosa - 5.º Mistério

Nota do blogue: Acompanhar esse especial AQUI.

A PÉROLA PRECIOSA

Breves pensamentos sobre o Rosário meditado, para sacerdotes.
pelo
Padre Wendelin Meyer, O.F.M.
Tradução portuguesa por
Alberto Maria Kolb


5.º MISTÉRIO

A mulher do Evangelho dizia: «Alegrai-vos comigo, pois achei a moeda que estava perdida.» (S. Luc. 15-9). Por acaso Jesus não é mais do que ouro e prata? E Maria Santíssima achou o menino; Seu coração rejubilava, sal­tava de alegria, é certo, isso compreende-se facilmente. E a alma imortal do homem não é por acaso mais preciosa do que todos os tesouros deste mundo? O sacerdote acha esta alma, por tanto tempo perdida, no templo, no confessionário, no leito da morte, em habitações miseráveis, casebres e choupanas; então o olhar do sacerdote brilha. Aqui novamente se encon­tram a Mãe de Deus e o Ministro de Deus; a vida de um resplandece na existência do outro.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

A mulher como deve sê-lo - Parte 1 - b

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI

A MULHER

COMO DEVE SÊ-LO

PELO
R.P. MARCHAL
MISSIONÁRIO APOSTÓLICO

VERSÃO DA 12.ª EDIÇÃO FRANCESA
POR
M.J. DE MESQUITA PIMENTEL
1872



Se me perguntais, mulheres cristãs, como o Sal­vador vos libertou, responder-vos-ei que cada pala­vra de Seus lábios, cada ato desta vida, quebra­ram um elo da cadeia que vos acorrentava. Eman­cipava-vos, recordando ao homem seus deveres e, vos­sos direitos: resgatava-vos restituindo ao matrimônio a santidade primitiva, e proclamando sua unidade, sua origem e seu fim. Não contente com recordar ao ho­mem seus deveres, esclarecendo-lhe à inteligência com Sua doutrina, purificou-lhe o coração pela virtude, e opôs a suas más e impetuosas tendências uma lei, tão terrível, quão doce, que dizia ao egoísmo incapaz, aos olhos humanos, de repressão, o que ele havia dito ao Oceano: Chegarás até aqui, mas aqui mesmo se quebrará o furor de tuas vagas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...