quarta-feira, 31 de julho de 2013

O BOM COMBATE NA ALMA GENEROSA - Parte IV

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

O BOM COMBATE 
NA
ALMA GENEROSA

Missionárias de Jesus Crucificado de Campinas


Ser grande

QUERES ser grande, Minha filha? Aspira.

As grandes almas tiveram grandes aspirações. Lem­brando-te do teu nada, deseja juntar a este nada as grande­zas de Meu coração amante.

Desejar ser grande em virtude não é presunção, mas, sim, nobreza de um coração, que chegou a compreender as riquezas celestiais.

As almas pusilânimes é que se contentam com pouco, nada desejam, vivem na languidez! Porém, grandes são os ideais dos corações grandes e amantes de Minha glória!

Grandes foram Meus ideais, quando no presépio de Belém recebia adorações dos pastores; já então Eu pensava na grande missão que ia exercer no mundo, que se achava em trevas. Por isso também vós, almas queridas, almas de boa vontade, no meio de vossa pequenez deveis sempre aspirar aos grandes ideais, como sejam os de Me dar almas e de atrair sobre vós as riquezas celestiais. Não deveis pensar: Isto não é para mim! Antes, só deveis dizer: Isto não é para mim “o pecado”. Se assim não fizerdes, fareis uma grande ofensa a quem tanto vos ama! Rico que Sou, como consagro amor a cada um de vós em particular!... Como podereis dizer que Minhas riquezas não são vossas!... Uma alma, quanto mais deseja, mais lhe é dado. Eu desejo que Me peçam. A petição é um canal por onde descem as riquezas de Meu Coração. A alma que pede Minha graça, acha-se disposta a receber. O mendigo pede um pedaço de pão quando se acha com fome, e quanto mais fome ele tiver, tanto mais lhe aproveitará a esmola recebida. E vós, almas queridas, que não tendes fome, como Eu vos posso dar o pão de Meus divinos favores?...

Quatro anos do nosso blogue!

Com muita alegria quero festejar com os amigos leitores quatro anos de blogue!
Com 3744 postagens.

Rogo a Nossa Senhora que continue abençoando esse apostolado e me dê forças para continuá-lo.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo,
para sempre seja louvado!

Indigna escrava do Crucificado e da SS. Virgem,
Letícia de Paula


terça-feira, 30 de julho de 2013

A Mãe segundo a vontade de Deus - Da economia (Parte I)

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Mãe segundo a vontade de Deus ou Deveres da Mãe Cristã para com os seus filhos, 
do célebre Padre J. Berthier, M.S
Edição de 1927


VI- Da economia

Visto que, — como acabamos de provar —, a mãe cristã tem obrigação de fornecer, a seus filhos um meio de existência, estabelecendo-os em conformidade com a sua condição, segue-se que deve procurar recursos necessários para cumprir este dever, e obtê-los-á, por meio da economia, que não é outra coisa, senão a arte de bem governar uma casa.

«A maior parte das mulheres, diz Fenelon, desprezam a economia, por considerarem que é uma condição vil, só própria de lavradores e de operários; e a economia é uma ciência, que só por ignorância se pode desprezar. É preciso efetivamente um gênio bem mais elevado, e mais largo do que têm algumas donas de casas, que querem verdadeiramente olhar por tudo quanto diz respeito à sua elevada missão, não perdendo o geral costume de quererem discorrer sobre modas, dedicar-se ao inglório tiroteio da conversação.»

O Papel da Autoridade na Família

Fonte: Maria Rosa Mulher

Por Marian T. Horvat
Traduzido por Andrea Patrícia


Pensando que ele está fazendo um bem, o pai cria um vácuo de autoridade

Se você tivesse que escolher a principal característica necessária a um pai de família, qual seria?
Alguns podem dizer que nós precisamos de homens católicos de oração, o que certamente é bastante verdadeiro. Outros grupos católicos convidam o homem a servir como chefe da família bem literalmente, servindo a esposa e filhos. Certamente a paternidade demanda autossacrifício e serviço, mas a ênfase nesse papel de serviço segue o ensino moderno do Vaticano II, que marido e mulher desempenhem papéis iguais e complementares no casamento. Um grande erro, em minha opinião, tem sido ignorar a ênfase tradicional e a importância do papel da autoridade que o marido e pai deve exercer na família.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

TRATADO DO DESÂNIMO - Parte II

Nota do blogue: Acompanhar esse especial AQUI.


TRATADO DO DESÂNIMO NAS VIAS DA PIEDADE
Obra póstuma do Padre J. Michel - 1952


FONTE E CAUSA DAS IMPRESSÕES QUE 
O DESÂNIMO PRODUZ NUMA ALMA CRISTÃ.

Por que é que o desânimo produz tão fortes e tão funestas impressões numa al­ma cristã? Ei-lo aqui. A alma está bem convencida da sua fraqueza, que amiudadas vezes ela experimenta: sente vivamente a dificuldade que tem em se vencer, coisa que lhe sucede raramente. Todo ocupada dessas idéias tristes e desalentadoras, de que tem pouca coragem, de que não faz nada para agradar a Deus, ela considera como coisa inútil recorrer ao Senhor, que, nesse estado, não deve escutá-la. Estranho efeito do orgulho do homem, que quereria dever a si mesmo o bem que faz e a felicidade a que aspira, contra esta palavra do Espírito Santo: Que tendes que não tenhais recebido?[1]

domingo, 28 de julho de 2013

O BOM COMBATE NA ALMA GENEROSA - Parte III

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

O BOM COMBATE 
NA
ALMA GENEROSA

Missionárias de Jesus Crucificado de Campinas


Bem-aventurados os que choram

Sim, disse Eu: Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados, e no Meu reino serão suas lágrimas enxugadas por Meus divinos favores. Chorar, Minha filha, é próprio de um coração que sofre. Criaturas há que choram quando se vêem na mendicidade, outras quando se vêem privadas de um afeto, outras quando a desgraça lhes bate à porta, pela morte de um ente querido ou nela perda de uma fortuna!... 

Mas Eu disse: Bem-aventurados os que choram... sim, os que choram por causa de Meus interesses! Na verdade, bem-aventurados os que choram, quando vêem o Meu nome blasfemado! Bem-aventurados os que choram, quando vêem os Meus interesses em perigo! Bem-aventurados os que choram, quando a desolação, que é o pecado, se alastra no mundo!

Ah! minha filha, quão poucas são as almas que choram, vendo a heresia e o erro se infiltrarem nos corações!... Quão poucos são os corações que comigo choram a perda de tantas almas!...

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Conselhos sobre vocação (para meninos de 12 a 18 anos) - FINAL

Nota do blogue: Acompanhe esse Especial AQUI. Encerro a transcrição desse belíssimo livro com essa emocionante história. Rogo a Nossa Senhora para que muitas sejam as almas infantis e juvenis agraciadas pela leitura dessa obra. Oxalá surjam santas vocações que amem e sirvam a DEUS com uma fé inquebrantável e com uma caridade desinteressada.

Indigna escrava do Crucificado e da SS. Virgem,
Letícia de Paula

CONSELHOS SOBRE A VOCAÇÃO

Padre J. Guibert
(Superior do Seminário do Instituto Católico de Paris)
edição de 1937


História de uma vocação

103. — Jorge tinha doze anos quando foi obrigado a deixar a escola.

Acabava de passar com boas notas nos exames do último ano de sua escola. Com mais um ano de trabalho, havia de ser, segundo o parecer dos mestres, o moço mais instruído da cidadezinha onde nascera.

«— Porque o Snr. nos deixa tão cedo? lhe perguntou o Irmão que lhe dava aulas. O Snr. não gosta de nossa companhia? Não estaria contente de estudar ainda?»

Em lugar de resposta, Jorge abaixou timidamente a cabeça; grossas lágrimas lhe borbulhavam nos olhos. Estava com o coração muito apertado para proferir palavra alguma.

104. — Se gostava da escola!... Se estava contente de estudar!... Quem podia duvidar disto?

Conselhos sobre vocação (para meninos de 12 a 18 anos) - Parte 21

Nota do blogue: Acompanhe esse Especial AQUI.

CONSELHOS SOBRE A VOCAÇÃO

Padre J. Guibert
(Superior do Seminário do Instituto Católico de Paris)
edição de 1937


CONCLUSÃO

102. — Conheceis, jovem amigo, o que o Evangelho refere dos Magos do Oriente que vieram em Belém para adorar o Menino Jesus.

Uma estrela brilhou no céu. Ao redor deles talvez ninguém a reparasse. Reconheceram-na eles, porém, como o sinal do Deus e disseram uns aos outros: «É o sinal do grande rei: vamos oferecer-lhe nossos presentes.»— Com efeito, seguiram a estrela que os guiou até o presépio onde repousava o Menino Deus: «Ali, entraram em casa, prostraram-se aos pés de Jesus e Lhe ofereceram seus tesouros, ouro, incenso e mirra.»

Conselhos sobre vocação (para meninos de 12 a 18 anos) - Parte 20

Nota do blogue: Acompanhe esse Especial AQUI.

CONSELHOS SOBRE A VOCAÇÃO

Padre J. Guibert
(Superior do Seminário do Instituto Católico de Paris)
edição de 1937


Conservar a vontade

98. — A vontade é a sentinela que vigia na porta do espírito e do coração: tudo em vós estará em segurança, vossa vocação será preservada de qualquer perigo, se a vontade permanece fiel a seus deveres.

O que caracteriza uma vontade é a coragem que de nada se amedronta, é a energia que nada cansa, é a perseverança que nada faz parar, é a firme retidão que nada faz desviar. Um homem conserva sua vontade quando nunca cede debaixo do peso das dificuldades.

Já estais convencido que uma vontade forte vos é necessária, porque a vida é um longo caminho a percorrer, porque este caminho é áspero e montuoso, porque muitas causas se reúnem para esgotar as forças e suspender a marcha.

99. — Três causas principais contribuem para enfraquecer a vontade: o cansaço, o aborrecimento e o desânimo. Aprendei a combater estes três perigos.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

O BOM COMBATE NA ALMA GENEROSA - Parte II

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

O BOM COMBATE 
NA
ALMA GENEROSA

Missionárias de Jesus Crucificado de Campinas



Jesus Crucificado pela Sua infinita misericórdia deu-me a compreender que há na vida espiritual um grande erro. Disse-me Ele que há uma peste que está devastando Sua Santa Igreja, e está fazendo tanto mal, que faz com que os frutos sejam muito poucos. Esta peste das almas chama-se piedade mal compreendida.

Disse-me Jesus que certas almas, em número bem avultado, procuram o caminho que leva à montanha santa do Calvário, (pois, sem subir esta montanha ninguém poderá se santificar) mas, o que acontece é o seguinte: Começam a subir, o logo se enveredam por outros caminhos, a procurar cruzes a seu belo prazer, mas quando se trata de sofrer o que o bom Deus lhes manda, ah! então fogem espavoridas, dizendo que não podem suportar tamanha cruz! E porque acontece isto? Ah! Eu bem o sei, pois Jesus Crucificado me fez compreender. É por falta de conhecimento de quem é Deus, pois Ele disse: Eu sou o caminho que deveis seguir, Eu sou a verdade que é preciso crer; preciso é então que sigamos Suas pisadas. Porque então, almas queridas, não aceitais com alegria o que o bom Mestre vos envia? Pois se Ele é a verdade que precisamos crer. Porque então não cremos e não pomos em prática o que Ele disse. Todo aquele que me quiser seguir, tome sua cruz. E disse mais: Todos que me quiserem seguir sofrerão contradição! Porque, então, alma querida, não pões em prática estas máximas do Santo Evangelho?! 

A Mãe segundo a vontade de Deus - Uma palavra acerca da agricultura

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Mãe segundo a vontade de Deus ou Deveres da Mãe Cristã para com os seus filhos, 
do célebre Padre J. Berthier, M.S
Edição de 1927


V- Uma palavra acerca da agricultura

Seria agora ocasião de falar das diversas profissões e carreiras que podem abraçar os jovens. Se excetuarmos algumas que são marcadas de infâmia, e que, por conseguinte não podem ser escolhidas por uma mãe cristã, todas são úteis para bem da sociedade, todas têm dado eleitos ao Céu. Abster-nos-emos de tratar das vantagens e dos perigos, que cada uma delas pode oferecer. Falaremos dum estado muito desprezado, e todavia estimável, sob tantas relações. Falo da agricultura, dessa arte que se pode chamar a base da formação dos povos, a agricultura, de que todos os poetas cantaram os encantos, e que tão honrada foi por todos os povos, a ponto de ser considerada a honra da virtude. Segundo a expressão dos nossos livros santos, a agricultura foi criada pelo Altíssimo, e o próprio Deus nos proíbe de desprezá-la. É porque ela produz a saúde, a virtude, e a fé, três dos mais preciosos bens.

A Mãe segundo a vontade de Deus - O estado

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Mãe segundo a vontade de Deus ou Deveres da Mãe Cristã para com os seus filhos, 
do célebre Padre J. Berthier, M.S
Edição de 1927


IV- Do estado

A criança cresceu, sob a doce influência dos cuidados maternos. Tornada forte e vigorosa, será daqui em diante capaz de se prover do necessário; é então um dever para os pais procurar criar-lhe uma posição, ou mandar-lhe ensinar um ofício que lhe forneça meios de se alimentar, e de viver duma forma que seja apropriada à sua condição e ao seu nascimento. Não ensina a ave os seus filhinhos a quebrar o invólucro do grão, de que eles se alimentam? 

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Catecismo do Padre Spirago - Parte 21

Nota do blogue: Acompanhe essa transcrição AQUI.

O Pecado Original
Deus e suas criaturas (11)

Por que Deus deu um preceito aos primeiros homens?

Deus deu um preceito aos primeiros homens, para que eles, obedecendo, merecessem como recompensa a eterna bem aventurança.

A ordem divina foi a de não comerem do fruto da árvore que estava situada no centro do paraíso.

Como sucedeu os primeiros homens transgredirem o primeiro preceito?

Catecismo do Padre Spirago - Parte 20

Nota do blogue: Acompanhe essa transcrição AQUI.

Os dons sobrenaturais
Deus e suas criaturas (10)

Que prerrogativas espirituais possuíam os primeiros homens?

Os primeiros homens possuíam as seguintes prerrogativas espirituais: uma inteligência muito esclarecida, uma vontade incólume e a graça santificante.

Possuindo a graça santificante, eram agradáveis a Deus, seus filhos e herdeiros do céu. Por esta razão, aproximavam-se muito mais dos anjos no que diz respeito à perfeição. Os pagãos designavam o estado dos primeiros homens pelo nome de Idade de Ouro.

Que prerrogativas corporais possuíam os primeiros homens?

Catecismo do Padre Spirago - Parte 19

Nota do blogue: Acompanhe essa transcrição AQUI.
A alma humana
Deus e suas criaturas (9)

Quais são as relações recíprocas entre corpo e alma humana?

O corpo e a alma humana tem as seguintes relações recíprocas: a alma vivifica e dirige o corpo; o corpo, por sua vez, serve de morada e instrumento à alma.

1) Assim como o vapor atua na maquina, do mesmo modo a alma atua no corpo. Sem a alma o corpo é um cadáver. 2) A alma dirige o corpo como o piloto dirige o navio. Infelizmente, porém, dá-se o caso de, às vezes, deixar-se a alma governar pelo corpo. 3) O corpo é a casa, a alma a inquilina. 4) O corpo é instrumento da alma, como o pincel é do pintor.

terça-feira, 23 de julho de 2013

A Importância de Seu Filho

Por Michael J. Rayes
Traduzido por Andrea Patrícia

  
Um dos deveres principais dos pais é ter a certeza de que seus filhos tem o que eles precisam para crescer até se tornar homem e mulher. No nível mais básico, isso engloba comida, abrigo e roupas. As crianças, entretanto, precisam de muito mais do que isso. O homem nasceu para a eternidade e um dia deve retornar ao Deus que o criou.

Nosso mandato como pais é preparar os nossos filhos para este encontro com o nosso Salvador amoroso.

Tal preparação envolve formação espiritual e intelectual. O sacramento da Crisma é uma parte maior desse desenvolvimento.

IGREJA COMPLETA

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946

IGREJA COMPLETA
13 de Setembro de 1945

Continuando o nosso brevíssimo estudo sobre a Igreja Católica — chegamos ao ponto em que eu vos falei de três corolários, decorrentes das teses sobre a Igreja. No primeiro se ressalta sua prerrogativa de sociedade visível; no segundo, de indefectível. Já os estudamos. Resta-nos o terceiro: a Igreja é uma sociedade completa, isto é, independente da sociedade civil.

Completa é a sociedade que, na sua ordem, é por si suficiente para conseguir o fim a que se destina, independentemente de outra sociedade. Para isto se requer: 1.° — que não seja parte de outra sociedade. Uma diocese, por exemplo, não constitui sociedade completa, porque faz parte de outra sociedade —a Igreja. 2.° — que não tenha seu fim subordinado a outra sociedade do mesmo gênero. Assim a família não é sociedade completa, porque o bem que ela visa é ordenado ao bem de uma sociedade maior — a cidade; assim como o bem da cidade é ordenado ao da república. 3.°que seja dotada dos meios necessários à sua conservação e consecução do seu fim.

IGREJA INDEFECTÍVEL

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946

IGREJA INDEFECTÍVEL
11 de Setembro de 1945

A Igreja de Jesus Cristo é indefectível — isto é, há de durar para sempre e também há de permanecer perpetuamente tal como foi instituída. Conservará, portanto, até ao fim do mundo, a estrutura e as propriedades que lhe foram assinaladas por seu divino Fundador.

Podem, por isso mesmo, fazer-se modificações acidentais, em coisas acessórias; pode admitir-se progresso no modo de expor a doutrina, acompanhando o desenvolvimento da cultura dos povos; pode alterar-se o que, por ordem do Salvador, compete à Igreja prescrever, organizar etc., — como os ritos que devem ser observados na administração dos Sacramento, o jejum, a abstinência, a obrigação de guardar os dias santos, etc. — Quanto às coisas essenciais, entretanto, nada se pode alterar. Esta indefectibilidade, todavia, só pertence a Igreja Universal que compreende o colégio apostólico sob a regência de Pedro — e aos sucessores dos mesmos — os Bispos em união com o Papa.

IGREJA VISÍVEL

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946
IGREJA VISÍVEL
10 de Setembro de 1945

Do que já vimos, estudando a Igreja, decorrem três corolários: a Igreja fundada por Jesus é visível, indefectível, completa. Vejamos o primeiro. A Igreja é visível não só materialmente, porque consta de membros visíveis, mas também formalmente, ou na sua constituição, enquanto pode distinguir-se de toda e qualquer outra associação, como verdadeira e única Igreja fundada por Jesus Cristo.

OS SUCESSORES DE PEDRO

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946

OS SUCESSORES DE PEDRO[1]
5 de Setembro de 1945

Já vimos Pedro, feito por Jesus pedra angular de Sua Igreja; constituído chefe do colégio apostólico; recebendo as chaves do Reino dos céus, com o poder de ligar e desligar. Prossigamos. — Pedro foi feito pedra e fundamento da Igreja, para a conservar segura e invencível contra os assaltos e ataques dos inimigos que, mercê de Deus, nunca lhe têm faltado.

PEDRO

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Igreja e seus mandamentos
por
Monsenhor Henrique Magalhães
Editora Vozes, 1946

PEDRO
4 de Setembro de 1945

Continuando o nosso estudo sobre a Igreja Católica, veremos hoje que o poder supremo de ensinar e de governar compete a Pedro e aos seus sucessores, os Pontífices Romanos.

É interessante conhecer o cânon do Concílio Vaticano a esse respeito: “Ensinamos, pois, e declaramos, conforme os testemunhos do Evangelho, que o Primado de jurisdição sobre toda a Igreja de Deus foi imediata e diretamente prometido e conferido por Nosso Senhor Jesus ao apóstolo São Pedro... Porém o que Jesus Cristo, príncipe dos pastores e Pastor Supremo, estabeleceu na pessoa de S. Pedro, para salvação perpétua e bem permanente da Igreja, deve subsistir, pela autoridade de Cristo, na Igreja que, fundada sobre pedra, permanecerá inabalável até à consumação dos séculos... Se, portanto, alguém disser que não e por instituição do mesmo Cristo ou por direito divino, que São Pedro tem sucessores perpétuos no primado sobre toda a Igreja — ou que o Pontífice Romano não é sucessor de São Pedro no mesmo principado — seja anatematizado”.

domingo, 21 de julho de 2013

O BOM COMBATE NA ALMA GENEROSA - Parte I

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

O BOM COMBATE 
NA
ALMA GENEROSA

Missionárias de Jesus Crucificado de Campinas


Em que consiste a Santidade

A Santidade consiste em negar-se a si próprio e pôr toda confiança em Deus, em ver este mundo como de passagem, lembrando que a nossa Pátria é o céu para não termos amor à coisa criada, em pensarmos todos os dias que não sabemos a hora em que seremos chamados às contas, em refletirmos que Deus é justo e que dará a cada um segundo seu trabalho, lembrando-nos constantemente da Parábola das Virgens loucas. 

Na verdade se a nossa lâmpada se achar apagada não entraremos no Banquete das Núpcias celestes, o que constantemente nos lembrará que o trabalho da santificação depende como que somente de nós. Se quisermos podemos ser grandes santos, se quisermos podemos ser réprobo, e podemos também ser tíbios e ir ao purgatório por muitos anos. Agora, alma fiel, escolhe o que queres ser na hora da morte e põe mão à obra. Se queres ser tíbia, cede ao teu corpo às exigências que ele te pede; se queres ser réprobo, afasta-te dos sacramentos; se queres ser santo, ama o Sacrifício, nega-te a ti mesmo e acende em teu coração uma lâmpada cujo azeite seja Eu, Teu JESUS.


10-9-1929.

O BOM COMBATE NA ALMA GENEROSA

Nota do blogue: Transcreverei esse belíssimo livro que tão bem fez a minha alma. Que Nosso doce Crucificado nos auxilie nesse Bom Combate e molde nossas almas na generosidade.

Letícia de Paula

P.S do dia 31/01/2014: (incompleto, mas livro já existente no blogue em PDF)

O BOM COMBATE 
NA
ALMA GENEROSA

Missionárias de Jesus Crucificado de Campinas



A autora anônima deste livro, cheio de boa doutrina e animado de um espírito são, abre a seus leitores um caminho, que somente será palmilhado pelas almas que aspirarem o mais perfeito. Se o mais perfeito na vida, sob qualquer aspecto que se o considere, não se atinge sem luta, com mais razão podemos afirmar que uma verdadeira guerra se desencadeia contra uma alma, que, aspirando a perfeição, tem que vencer as próprias paixões, como as seduções do mundo corruptor.

É no campo, pois, da Ascética, que, ensinando a combater as más inclinações da natureza, leva o homem a construir o edifício de suas próprias virtudes, que decorrem os capítulos deste livro que com razão leva o nome de “O Bom Combate na Alma de Boa Vontade”.

O amor sobrenatural, uma confiança inalterável, uma generosidade sem par, uma renuncia completa, uma abnegação pessoal e real, e uma observância piedosa e inteligente dos próprios deveres, eis as virtudes fundamentais que aí aprende uma alma desejosa de perfeição, que, por amor e sem condição, se entrega à vontade do Divino Lapidador. E só essas almas d’escol, que corresponderem à atuação da graça transformante, se tornarão fortes na Fé e ardentes no Amor, para merecerem os arroubos da vida mística, numa santa, doce e casta união com o Divino Esposo.

Tal é o piedoso escopo deste livro, que, sob as bênçãos de Nossa Mãe e Riqueza, Maria Santíssimo, vai correr mundo em beneficio das almas de boa vontade.


F. de M. (Missionárias de Jesus Crucificado de Campinas)
Campinas, 4-8-36.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...