quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

O aborto e a falácia dos números pelo Padre Paulo Ricardo


Os números são manipulados de forma primária, não fazendo distinção entre aborto provocado e aborto natural, cálculo realizado por Débora Diniz, "pauzinho mandado" de organizações internacionais como a Fundação Mccartney, que é uma das maiores incentivadoras financeiras do aborto mundial.

Como 90% dos brasileiros é contrário ao aborto, essas organizações mundiais tentam manipular estatísticas para tentar "amolecer" o brasileiro, alegando que a não legalização do aborto tem matado mulheres indefesas. Falácia dos diabos.

Apoiem padres como o Padre Paulo Ricardo e o Padre Lodi que, bravamente, gladiam contra esses filhos do capeta.

O Brasil não aderirá ao aborto! Eu tenho fé.

Letícia de Paula

ETERNO MATRIMÔNIO


A nossa era desconhece o que Cristo fez ao matrimônio. Elevou-o a Sacramento, sobrenaturalizando esse contrato. Tornou-o indissolúvel, monogâmico e reflexo de Sua união com a Igreja.

A nossa era despreza o matrimônio, com suas leis e graças, relativizando o que é inviolável e colocando-o num patamar animal, onde o sexo é o centro da relação, sem concluir o fim para qual foi feito, a saber, a prole. O prazer existente na relação conjugal é como que um estímulo para as responsabilidades que dele nascem, os filhos e suas penas. Um casal que fica apenas com a gratificação (prazer) e não assume as penas (filhos, educação) atraiçoa a Deus.

A nossa era trata o Sacramento do matrimônio como se fosse um brinquedinho. Cansou dele, começou a dar os primeiros problemas, passou a fase da novidade e logo é colocado no lixo e se busca um novo. Acham que podem entrar com nulidade por qualquer futilidade, comprar bispos, ou assumir o status de "segunda união", desprezam o caráter indissolúvel e monogâmico dado por Jesus Cristo.

A nossa era usa do cônjuge como um objeto, aceitando o matrimônio apenas por formalidades, sem tomar pose das responsabilidades de fidelidade e amor mútuo que ele implica. Passam-se os anos, a beleza da primavera se vai, vem os conflitos, a rotina e o lar é maculado pela prostituta "traição", pelo divórcio, mentiras e brigas que fazem da vida dos filhos um inferno na terra.

Somos dessa era, mas não somos obrigados a sermos como ela. Somos batizados, filhos adotivos de Deus e cumpridores de Suas leis. Coremos nossa face diante de tantos insultos feitos ao Sacramento do Matrimônio, assumamos uma postura de cristãos autênticos como marido ou esposa. Tenhamos e eduquemos filhos para o Céu. Sejamos fiéis até à morte e jamais façamos de nosso lar um inferno para os filhos.

Somos desse mundo, estamos nele e temos a LUZ. Brilhemos, queridos, brilhemos a LUZ que é CRISTO, e não nos envergonhemos de perpetuar nosso matrimônio, honrando e santificando esse Sacramento.

Deus imperará nas famílias que não se envergonharem de Seu nome.

Letícia de Paula

sábado, 24 de dezembro de 2016

SANTO NATAL


Muitas pessoas deixam de aproveitar o Natal por conta de problemas na família, saudades daqueles que se foram, solidão entre outras coisas. Por mais que todas essas coisas sejam legítimas de pena nada, nada pode e deve nos tirar a alegria do Natal. Natal não é pra gente, não é festa familiar, não é comes e bebes, Natal é o nascimento do Menino-Jesus e esse precisa de uma manjedoura que o receba com alegria, e essa manjedoura DEVE ser o seu coração.

O site A grande guerra deseja a todos um santo Natal e que o Menino Jesus nasça diariamente em nossos corações!

Letícia de Paula

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

CARÊNCIA CRISTÃ


Vivemos numa época onde falta seriedade, honra e respeito nas relações. As pessoas são tratadas como objetos descartáveis, o sexo é idolatrado, o corpo venerado e a alma desprezada.

Cristãos remam contra essa maré, além de muitas vezes, trazerem uma má educação, virem de lares desestruturados, etc. A possibilidade de viver o cristianismo num lar estruturado e com uma pessoa de Deus acaba sendo a única alternativa.

Talvez por isso, quando uma moça (especialmente ela por ser mais emotiva) encontra um rapaz que se autodenomina "de Deus", venha essa descarga de anseios.

A caridade entra aqui, compreender tais situações e ajudar no que puder. Todo excesso é ruim, mas a carência pode ser ponderada com conversa, oração e parceria.

Letícia de Paula

COMPREENSÃO FEMININA


Os homens carregam uma responsabilidade enorme dentro de um relacionamento. O fato deles serem os provedores (não apenas no sentido financeiro), o cabeça da relação, aquele que baterá o martelo nas decisões de um lar, todas essas obrigações natas, trazem receio, angústia e um pouco de medo.

São homens passíveis dessas fraquezas, não são anjos.

Por isso, nós mulheres, devemos ajudá-los com nossa parceria, apoio e carinho. Jamais humilhá-los. Uma mulher que não consegue ter a docilidade para entender isso fará da vida de seu marido um inferno.

Letícia de Paula

HOMENS E MEDO DA EDUCAÇÃO DOS FILHOS


É muito comum o homem cristão temer pela educação que ele dará ao seu filho. É um temor legítimo, pois de uma boa educação se molda almas infantis. Todavia, a educação não se dá primeiramente pela ciência, pelo culto das letras e metodologias, não! A educação se inicia, finca e perpetualiza-se pelo bom exemplo que o pai dá, especialmente no campo espiritual.

Um homem que dobra seus joelhos e reza a Deus diante dos filhos forja "almas faróis".

Que o temor do homem seja acalmado por essa certeza.

Letícia de Paula


segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

CASTIDADE NO NAMORO


Guardar a castidade no namoro não é só uma questão de temor, mas, especialmente uma prova de amor. E esse amor para com Deus se transborda atingindo o bem-amado.

Quem guarda a castidade exercita a sua vontade e paciência, domina suas vontades e eleva os desejos. Meu corpo anseia pelo prazer, mas esses anseios serão domados pela razão reta e pela graça a fim de presentear o apetite sensível no momento certo, com a benção de Deus.

Letícia de Paula

Homem e Mulher


O homem é a cabeça de sua mulher e a mulher 
é o coração do seu marido.

Que coisa mais perfeita essa comparação 
que tantos santos fizeram... 
o homem mais racional guia a mulher 
naquilo que suas emoções podem lhe trair e, 
a mulher, mais emotiva, traz vida ao homem. 
A boa mulher é que manterá 
o homem vivo em sua frieza.

Letícia de Paula

CRIANÇA E A EDUCAÇÃO INTEGRAL


Segundo o padre Álvaro Negromonte, existem educações insuficientes e parcialistas que definham a capacidade da criança. Vejamos:

— as materialistas: reduzem os cuidados à matéria desprezando o espírito, seus cuidados se fixam em: saúde, força, beleza, gozar as facilidades da vida. Esse é o erro da sociedade atual e que levam muitas famílias ao inferno.

— os intelectualistas: cultivam o "deus intelecto", esperam tudo das "luzes do alfabeto" e menosprezam a ação divina. Crianças crescem sem vida interior, sem vida da graça.

— os individualistas: educam no egocentrismo colocando o "eu" como centro do universo. Pequenos "deuses" individualistas que se deparam com outros "deuses" e o mundo segue numa loucura sem fim.

— os pragmatistas: pensam que a vida é ação prática e toda a educação se baseia num ritmo ativista e sem profundidade, sem reflexão, etc.

E a educação integral do homem: física, psíquica, moral e espiritual é abandonada, o homem cresce deficiente em sua formação íntegra e fica a mercê, quando criança, de educadores parcialistas.

O homem, tal como é, criatura de Deus, no conjunto de suas faculdades orgânicas e espirituais, na desorganização consequente ao pecado original, no complexo misterioso de elevações e fraquezas tem apenas uma meta final: a salvação eterna, e para isso, sua educação deve acontecer de forma suficiente.

Letícia de Paula

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

EDUCAÇÃO E A CRIMINALIDADE


Esses documentos chinfrins como o Eca, alegam que a permanência das crianças e dos adolescentes na Escola lhe garantem um futuro fora da criminalidade. 

Será? 

Não é crime matar um índio queimando-o vivo? (como fizeram os boyzinhos de Brasília); ou atirar em várias pessoas num cinema, ferindo e matando quase 60 pessoas, como fez James Holmes (estudante da Escola de Medicina da Universidade do Colorado); ou mesmo, matar os pais como no caso de Suzane von Richthofen (riquinha do Brooklin)?! os políticos engravatados que possuem canudos e mais canudos eu nem colocarei nessa lista para não me dar indigestão.

O que previne uma criança da criminalidade? O Estado? a Escola? não! o que previne uma criança de ser um futuro criminoso é uma verdadeira educação enraizada em princípios cristãos, uma moral firme, formação de caráter e princípios, coisas que quase nenhuma escola oferece hoje. 

Esse jargão é um atentado à razão.

A criminalidade infantil está ligada diretamente à ausência dos pais no crescimento dos filhos, lares destruídos por divórcios e traições, falta de Deus na família. Não pensem que enfiar uma criança por oito horas numa creche ou escola livrá-la-á de ser um bandido.

Letícia de Paula

CRIANÇAS E OS VERDADEIROS HERÓIS

É muito saudável vivificar o lúdico na vida da criança, aquele mundo de "contos de fadas" onde existem os heróis e as princesas, mas não nos esqueçamos que, os verdadeiros heróis (santos) devem ser apresentados aos pequenos ainda quando pequenos, época marcante, onde registramos impressões e formamos nosso caráter.

Eu farei um álbum aqui no meu FB com algumas imagens bonitas de santos, deixarei aberta para ajuda dos amigos, logo, quem também tiver boas e pias imagens podem contribuir. 

Conte a vida de santos para as crianças, deixe-as manipular os santinhos, perceberá, no futuro o efeito dessa educação.

Letícia de Paula

ERA DE MOLENGAS


Vivemos numa era de molengas. Homens e mulheres que firmam suas decisões nas emoções. Nunca abandonam o lúcido infantil e seguem derramando leite por onde andam... frases como: "ah, não sei se é a pessoa certa para mim, não senti no meu coração" ou "não vou assumir esse trabalho, pois não fui tocado"... revelam almas infantis e que pulam de galho em galho esperando uma estrelinha cadente. 

Falta fibra, decisão, meta e ordenar os sentimentos para o uso correto da razão. 

A cada geração adultos mais infantilizados e um futuro sem vigor.

Letícia de Paula

AS CONSEQUÊNCIAS DE UM LAR DESESTRUTURADO


A formação moral, psíquica e emocional de uma criança se forma nos primeiros anos de vida. Não é incomum ver jovens tendendo ao homossexualismo, ao feminismo e a anarquia por conta de lares desestruturados, onde não houve presença paterna e materna adequada. Homossexualismo, na maioria dos casos, é uma desordem psíquica, onde as figuras femininas e masculinas não foram bem determinadas na mente de uma criança por falta de bons exemplos dos pais. A criança aprende com traumas e mágoas.

Apenas um exemplo: uma moça não quer se relacionar com homens por maus tratos do pai ou por ausência desse, então, ela percebe que por ter esse bloqueio interior, deve agir como homem e se aproxima só de mulheres, pois não teme a figura feminina, apenas a dela mesma e, vive esse confronto doloroso, encontrando "apoio" numa sociedade assassina e perversa.

E essa sociedade trata essas consequências desastrosas como "liberdade do ser-humano"... e almas sofridas, perdidas e que caminham em meio ao escuro ganham os "aplausos" de seus torturadores enquanto caminham para o abismo.

E quão importante é um lar estruturado!

Letícia de Paula

DOCE CAVALHEIRO


Doce cavalheiro, que o semblante me é enigma
Sinto a tua presença, e isso me reanima.
Almas desde sempre unidas, num doce ato de crer
Na espera de um encontro, que alegre nosso viver.

Doce cavalheiro, que me tira noites de sono
A imaginar o teu toque, tua respiração e teu gosto.
Estarei aqui, mesmo se as estrelas apagarem,
Mesmo que o sol escureça e teus olhos não mais brilharem.

Estarei aqui, meu Doce cavalheiro, a enxugar as tuas lágrimas
Em tua dor serei sustento e amparo em tuas lástimas.
Estarei aqui, meu Doce Cavalheiro, unida ao teu coração
A espera de um ósculo eterno que selará nossa união.

Autoria: Letícia de Paula

CRIANÇA E BULLYING NA FÉ


Hoje muito se fala de Bullying infantil, vamos ver o que significa. Bullying é uma palavra de origem inglesa que significa “intimidação” e essa intimidação se dá no campo físico e psíquico.

E como reagir quando a criança sofre esse tipo de intimidação no campo de sua Fé? Farei alguns apontamentos:

1.º — O mundo sempre nos fará guerra.

Será que os pais educam os filhos com essa percepção de vida? Filhos do mundo e filhos da Luz. O mundo que sempre nos fará guerra, que os filhos de Deus serão perseguidos; que estamos numa guerra e que, como soldados devemos combater? Isso prepara as crianças para enfrentarem com mais vigor as intimidações.

2.º — Excesso de proteção.

É nato nos pais quererem proteger seus filhos das dores, humilhações, etc., mas até que ponto isso ajudá-los-á a serem católicos fortes e destemidos? tratou-se com os filhos sobre a importância de algumas virtudes como a fortaleza, paciência nas provas, sobre o valor que possuem por serem soldados de Cristo?

3.º — Cristão é bom mas não é otário.

domingo, 4 de dezembro de 2016

REVENDO CONCEITOS




A Igreja nunca condenou a escolha de um pretendente por beleza ou riqueza, mas sempre aconselhou que a escolha seja, especialmente, pelas virtudes.

Observando o desenvolvimento de muitas gerações percebo que a idolatria pelo corpo vem crescendo de forma desmedida. A mídia brinca com a mente da sociedade e a faz de marionete.

Ora um corpo anorexo é o esteriótipo da beleza; depois de alguns anos um corpo mais encorpado toma o seu lugar.

Isso acontece porque já não há mais uma educação que visa formar o homem no seu todo como faziam as escolas jesuítas e os pais cristãos; educa-se para exercer uma função na sociedade (apenas parte de um homem) e o homem fica deficiente de formação de virtudes, consequentemente suas escolhas e preocupações se tornam fúteis, externas.

Basta olhar para a juventude e perceber como tentam chamar a atenção com a moda, cada vez mais escravizante. E fomos criados nessa sociedade e nossas escolhas se dão naquilo que nos impõe e nos sobressaltam aos olhos -- o exterior.

Sim, todos gostam de pessoas bonitas, bem apresentáveis, não sejamos hipócritas, isso faz parte de nossa natureza, mas até que ponto a nossa concepção de beleza não está influenciada pela mídia e sociedade e por nossa formação decadente? até que preço estamos dispostos a pagar por essas escolhas?

Será que o fato de não conseguirmos ter uma concepção de beleza que engloba não só o exterior, mas especialmente o interior, os gestos, se deve por uma desfiguração da beleza verdadeira?

Letícia de Paula

Feminismo - negação da essência feminina


O feminismo incita o ódio não aos homens, mas especificamente à mulher em sua essência. Tanto que a intenção do feminismo é transformar mulheres em homens, como se isso fosse possível.

As moças negam as gravidezes, constituir família e até suas fisionomias são transformadas para em tudo se parecerem com homens.

O feminismo incita o ódio da mulher para com ela mesma.

A negação de sua essência.
O ódio a Deus.

A maioria dessas jovens se adentram ao feminismo por uma crise existencial e por falta de orientação correta.

Encontram no feminismo "uma voz" que lhes diz: Venha.
E lá elas acreditam que são úteis, livres e protegidas.

Lamentável tudo isso. 
Destroem-se a si mesmas.

Letícia de Paula
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...