segunda-feira, 21 de novembro de 2016

A modéstia só existe onde há caridade


À partir do momento em que a mulher compreender que seu irmão é sacrário do próprio Deus, e que o demônio tenta retirar Deus do Seu trono (nossa alma), ela, por caridade/amor, mudará suas atitudes. Em vestimenta, em ações e palavras, uma mudança causada por amor, compreendem? fora isso, teremos "caricaturas de modéstia".

Letícia de Paula

EXCESSO DE ZELO GERA DOENÇA


Já repararam como nas últimas décadas as crianças estão fracas e cheias de doenças? E já repararam como tem pais frescos que não deixam uma janela aberta na casa para a criança "não pegar vento", e toda hora ficam com álcool gel na mão para que a criança não seja contaminada?

Criança precisa de uma vitamina muito rica, a vitamina "S" de sujeira. Tem que criar anticorpos. Claro que não vai deixar a criança fazer a festa no banheiro, mas brincar no chão, terra... é saudável.

Se a chupeta caiu no chão, não vai morrer se não esterilizar com álcool.

Criança precisa de ar, nada de ficar abarrotando os coitados com tantas roupas e mantas, ou então, qualquer coisinha socar remédio nos pequenos.

Muitas crianças sofrem por conta de neuras dos pais inseguros.
Atentemo-nos.

Letícia de Paula

CRIANÇA E O NATAL


Perguntaram-me o que eu penso sobre o Papai Noel e presente para as crianças.

Ser-lhes-ei muito sincera.

Meus filhos saberão que o Natal é o nascimento do Menino Jesus, época de muita alegria, cheia de esperança e que, por isso, temos que comemorar. Presentes, Ceia, Missa e caridade.

Ajudar-me-ão a levar alguns presentes para orfanatos e dirão às crianças carentes que o Menino Jesus faz aniversário, mas que por amor quem receberá presentes são eles.

Haverá Ceia, Missa e presentes para os pequenos, mas ao invés do Papai Noel fajuto, quem lhes dará o presente e encherá a alma dos pequenos (meus filhos) de expectativas é o Menino Jesus.

Sim, a criança precisa do lúdico, mas não quando a realidade pode fazer melhor.

Letícia de Paula

sábado, 12 de novembro de 2016

MÃE E A EDUCAÇÃO DO FILHO


Um erro muito comum nos dias atuais é a mãe tratar seu filho como se fosse uma boneca. 

Enche-o de mimos, de elogios e carinhos e fica indignada com qualquer contrariedade feita ao pequeno, como se ele fosse feito de cristal.

Já com seus 2 anos, quando surgem as brigas entre outras crianças, o que é normal, ela se apavora com qualquer arranhão e, sem perceber, vai educando seu filho para ser um efeminado. 

Não adianta só comprar roupa azul e carrinho. As atitudes de uma mãe para com o filho devem ser mais viris do que com relação à menina. Isso não significa que deva haver rigidez em excesso, mas ele, o filho, deve compreender que sua natureza é mais forte por ser menino e essa compreensão se dá, de início e especialmente, pela forma como é tratado pela mãe.

Mulheres, não tratem seus filhos como bonecas, agindo assim, estarão educando-os para serem efeminados.

Letícia de Paula

CRIANÇA E TV



Essa "prostituta" que colocamos dentro de nossa casa é, em grande parte dos casos, uma corruptora infantil. 

Criança aprende imitando. Acha mesmo que não vão querer imitar os pais que ficam em suas horas livres diante da "prostituta" assistindo novelas e outras porcarias? TV apenas para exibir algum filme ou musical instrutivo e mediante a presença dos pais.

Além de trazer corrupção moral essa "prostituta" não deixa que os pequenos se desenvolvam fisicamente. 

Gerações molengas e preguiçosas, com a "onipotência" de um controle remoto.
Fiquemos atentos.

Letícia de Paula


PAIS E APEGO

Enquanto os pais não compreenderem que são apenas cooperadores de Deus na criação de seus filhos, serão escravos de um apego desenfreado por eles.

A missão primeira dos pais é educar seus filhos para marcharem rumo ao Céu e, sabemos que o caminho é estreito, de muito sofrimento e humilhações. O apego impede essa marcha e míngua o desenvolvimento dos filhos. 

Que tenhamos como exemplo aquela mulher do Antigo Testamento, que exaltou a Deus ao ver seus 7 filhos morrerem pela Fé. 

É difícil, mas ninguém disse que seria fácil, e essa vida é uma brevidade perto da eternidade. Não poupem seus filhos dos grandes lugares no Céu.

Letícia de Paula

CRIANÇA E ROTINA



"Onde há excesso há erro".

Essa frase é condutora também na educação dos nossos filhos. 

A criança tem muita energia, mas o excesso de atividades pode lhe trazer estafa física e mental. Impôr que a criança esteja cada vez mais cedo nas escolas (como tem feito o Estado) e cumpra uma rotina escolar só serve para definhar a vivacidade dos pequenos, pois ficam confinados num ambiente que não lhes é familiar e, na maioria das vezes, aprendendo a serem "ocos". Toda a criatividade, anseio pelo novo -- nato da criança -- se perde em bagatelas escolares nada produtivas.

Da mesma forma que não impôr rotina nenhuma lhe traz propensão à preguiça e ao comodismo.

É importante entender que, cabe aos pais, ensinar aos pequenos a ordenar o dia. Tudo tem seu tempo debaixo dos Céus. Hora de comer, brincar, ler, rezar, descansar, silenciar, falar, enfim... mas deve ser feito mediante a idade das crianças que ainda estão em desenvolvimento e necessitam descansar mais que os adultos.

Segue algumas dicas práticas:

______________

1. Até seus 3 anos é normal a criança querer dormir à tarde. Estimule esse momento com um ambiente propício, música, sem claridade e dengo moderado. (não passar muito mais que 2 horas).

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

EXCESSO DE ORDENS DESNECESSÁRIAS


Uma forma muito comum de se perder a autoridade diante dos filhos são as inúmeras intervenções feitas sem muito critério. Exemplifico.

Uma mãe que passa o dia todo brigando com o filho, "Pedro, não suba na cadeira"; "não beba água gelada"; "eu estou mandando desligar essa TV"; "Pedro, pare agora com essa gritaria", etc, essas intervenções, geralmente feitas em alto tom, só servem para desautorizar os pais perante os filhos.

Se um dia a mãe for intervir por algo realmente de critério como numa mentira cometida ou pelo fato dos filhos não quererem ir à missa, eles não darão grande importância e não saberão distinguir a gravidade de uma falta leve e de uma grave.

O ideal é sempre conversar com os filhos, abaixados (na altura deles) e em tom suave de voz, explicando o que você quer deles, com autoridade, mas também suavidade, e, quando precisar intervir com mais pegada, se assim posso dizer, eles perceberão que determinado assunto tem sua gravidade.

Mas ainda sim, gritos e descontrole não são permitidos, pois só servem para desautorizar os pais.

Letícia de Paula

ORDENS DADAS AOS FILHOS


Tratemos de alguns pontos práticos sobre ordens dadas aos filhos.

1. Evitar dar ordens a torto e a direito, a multiplicação de ordens desarrazoadas enfraquece a autoridade.
2. Jamais ordenar coisas que as crianças já estão dispostas a fazer.
3. Não confundir autoridade com autoritarismo.
4. Quando ordenar algo faça que sua ordem se cumpra.
5. Tenha certeza do que quer ordenar e formule sua ordem de forma que a criança compreenda-a claramente.
6. Jamais ordene algo gritando.
7. Uma ordem jamais deve ser dada em tom de súplica.
8. Depois de uma ordem dada não tentar convencer a criança a cumpri-la com barganha.
9. Jamais use de sarcarmo em suas ordens.
10. Mostre alegria e orgulho com as ordens obedecidas, porém evitar excessos.

Letícia de Paula

HOMOSSEXUALISMO SENDO ENSINADO NAS CARTILHAS INFANTIS

E você acha mesmo que há exageros quando se diz que o governo quer corromper as crianças com ideologias satânicas?

Olha aí, uma cartilha distribuída em Recife.

Incentivando ao homossexualismo e ditando como ação discriminatória ser contra "um papo que quer namorar outro pato".

DESGRAÇADOS.

____________________________________

(CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIÁ-LAS)