segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Obrigação de vários estados

Por Thiago Maria


OBRIGAÇÕES DOS CHEFES DE FAMÍLIA

1- Sustentar a família conforme o próprio estado.
2- Não dissipar os bens da família em jogos nem em vaidades.
3- Pagar pontualmente o ordenado aos criados, jornaleiros.
4- Vigiar sobre os costumes de seus filhos e dependentes.
5- Procurar que frequentem a palavra de Deus e os santos Sacramentos.
6- Corrigí-los com prudência.
7- Castigá-los sem paixão de ira etc.
8- Tratá-los com benevolência.
9- Tê-los ocupados.
10- Assistí-los em suas doenças.
11- Edificá-los com o bom exemplo.
12- Encomendá-los a Deus, e proporcionar-lhes bons mestres, patrões etc.
13- Procurar a devida separação entre filhos e filhas, e pessoas de diferente sexo.
14- Não admitir pessoa alguma que possa, com suas conversações, ou de qualquer outra maneira, ser motivo de escândalo à família.

A Mãe segundo a vontade de Deus/ II- Dos recreios

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Mãe segundo a vontade de Deus ou Deveres da Mãe Cristã para com os seus filhos, 
do célebre Padre J. Berthier, M.S
Edição de 1927


II- Dos recreios

O trabalho e a aplicação das crianças devem ser interrompidos por meio de recreios, e animados por meio de recompensas.

Não pode o arco conservar-se sempre retezado, dizia S. João ao caçador, que parecia censurar-lhe a sua distração, quando caçava uma perdiz. Mas é principalmente às crianças que uma longa tensão de espírito é funesta ou impossível; é preciso, pois, procurar-lhes momentos de descanço, que ao mesmo tempo que recreiam o espírito, fortificam e avigoram o corpo. — «Afinal, o cuidado que se tomar em mes­clar de prazer as ocupações sérias, servirá de muito para afrouxar o ardor da mocidade pelos divertimentos perigosos. A sujeição demasiada é que ori­gina a impaciência pelos divertimentos, disse Fénelon. Se uma menina se não enfastiasse de estar junto de sua mãe, não teria tanta vontade de lhe fugir, para ir procurar companhias que lhe podem ser prejudiciais.» Todavia nada seria mais perigoso para a criança do que um descanço ocioso e sem vida; longe daí encontrar a alegria e o ardor para o estudo, apenas conseguiria ganhar costumes impróprios, e talvez mesmo viciosos. 

Virtudes e Tradições de uma Família Saudável

Fonte: Maria Rosa Mulher

Por Mons. Henri Delassus
Traduzido por Andrea Patrícia

 Um pai exorta seu filho à virtude

Esse contrarrevolucionário autor do século XIX denunciou repetidamente as premissas da globalização e o início de um governo mundial. Ele insistiu que era o espírito da família no lar, na sociedade e no Estado, que poderia fornecer a maior resistência à conspiração anticristã.

Neste trecho de seu trabalho sobre a família, Mons. Delassus explica a importância das tradições da família em preservar os bons costumes da Civilização Católica. (TIA)
_____________

A solução para evitar a introdução de leis contrárias à instituição da família, juntamente com uma ação pública vital, é imbuir as próprias crianças com tradições familiares. Então, desde que estas boas tradições perdurem, estes atos legislativos sempre encontrarão uma resistência saudável.

A tarefa de reviver as tradições nas famílias pode e deve ser o trabalho de cada família em seu próprio meio social. Pode-se esperar pela abolição de leis revolucionárias através de um grande movimento de opinião pública. Mas o que cada um pode fazer é reviver o espírito de família ao seu redor. Fazendo isso, ele vai fazer o maior bem possível para a sua própria família e, ao mesmo tempo, preparar-se para a renovação da sociedade.

Fiesta de Cristo Rey, por Benito Baur O.S.B.

Fonte: En Gloria y Majestad

"El Señor es Rey."

   1. Un día de acción de gracias al Padre por haber constituido Rey y Señor de todo a su divino hijo, que tan profundamente se anonadó en su pasión y muerte. Un día de acatamiento al Hombre-Dios, a Jesucristo, al cual se le ha concedido todo poder sobre el cielo y sobre la tierra. "Él domina de un mar a otro, desde el río (Éufrates) hasta los últimos confines de la tierra. Le acatan todos los reyes de la tierra. Le sirven todos los pueblos" (Gradual). Acatémosle y sirvámosle también nosotros, hoy y siempre.

domingo, 27 de outubro de 2013

VIVA CRISTO REI!


A “Quas Primas”, de Pio XI, em Português - Sobre Cristo Rei



Sobre Cristo Rei*

Pio XI

CARTA ENCÍCLICA

Aos Veneráveis Irmãos Patriarcas, Primazes, Arcebispos, Bispos e Outros Ordinários em paz e comunhão com a Sé Apostólica: sobre Cristo Rei.

PIO PAPA XI
Veneráveis Irmãos, saúde e bênção apostólica.

INTRODUÇÃO.

1. Na primeira Encíclica, dirigida, em princípios do nosso Pontificado, aos Bispos do mundo inteiro, indagamos a causa íntima das calamidades que, ante os nossos olhos, avassalam o gênero humano. Ora, lembra-nos haver abertamente declarado duas coisas: uma — que esta aluvião de males sobre o universo provém de terem a maior parte dos homens removido, assim da vida particular como da vida pública, Jesus Cristo e sua lei sacrossanta; a outra — que baldado era esperar paz duradoura entre os povos, enquanto os indivíduos e as nações recusassem reconhecer e proclamar a Soberania de Nosso Salvador. E por isso, depois de afirmarmos que se deve procurar a paz de Cristo no reino de Cristo, manifestamos que era intenção nossa trabalhar para este fim, na medida de nossas forças. No reino de Cristo, — dizíamos; porque, para restabelecer e confirmar a paz, outro meio mais eficiente não deparávamos, do que reconhecer a Soberania de Nosso Senhor. Com o correr do tempo, claramente pressentimos o raiar de dias melhores, quando vimos o zelo dos povos em acudir, — uns pela primeira vez, outros com renovado ardor, — a Cristo e à sua Igreja, única dispensadora da salvação: sinal manifesto de que muitos homens, até o presente como que desterrados do reino do Redentor, por desprezarem sua autoridade, preparam, ainda bem, e levam a efeito sua volta à obediência.

TRATADO DO DESÂNIMO - Final

Nota do blogue: Acompanhar esse especial AQUI. Com esse post encerro a transcrição desse belíssimo livro.

TRATADO DO DESÂNIMO NAS VIAS DA PIEDADE
Obra póstuma do Padre J. Michel - 1952



DA ESCOLHA DOS LIVROS DE QUE NOS SERVIMOS NA MEDITAÇÃO,
E DO MÉ­TODO QUE SE DEVE SEGUIR NESSAS LEITURAS.

Para nos ocuparmos, na meditação, com o socorro dos livros, importa muito escolher bem os livros de que nos queremos servir, e seguir nessas leituras um método útil. Há livros que contêm meditações em que a alma se eleva, de alguma sorte, ao seio de Deus, perde-se nas Suas infinitas perfeições, e leva a sua vista às profun­dezas dos Seus mistérios. Esses livros não são próprios para uma alma que necessi­ta de socorro para se recolher. Só Deus pode fazer entrar nesta espécie de medi­tação; e, quando Ele a ela nos chama, entramos nela sem dificuldade. Uma alma que entrasse nela por si mesma, sem a isso ser atraída pela graça, extraviar-se-ia infalivelmente, e incidiria numa funesta ilusão. Não seria Deus quem a conduziria por essa trilha extraordinária; ela só seria guiada nela pelo orgulho e pela presunção. O amor-próprio, a vã estima de si mesma não tardaria a insinuar-se na sua oração, impedi-la-ia de tirar proveito dela, afas­tá-la-ia mesmo de Deus, ao invés de aproximá-la; ou, se ela agisse de boa fé, em breve a inutilidade dos seus esforços a lançaria no desânimo.

sábado, 26 de outubro de 2013

Para a Salvação é necessário o sacrifício da vontade própria


Qui facit voluntatem Patris mei, qui in coelis est, ipse intrabit in regnum coelorum — “O que faz a vontade de meu Pai que está nos céus, esse entrará no reino dos céus” (Matth. 7, 21).

Sumário. O que faz a vontade de Deus, entrará no céu; o que não a faz, não entrará. Se portanto quisermos ser salvos, renunciemos à nossa vontade própria, e entregando-a sem reserva a Deus, digamos freqüentes vezes cada dia: Senhor, ensinai-me a cumprir a vossa vontade santíssima; protesto não querer senão o que quereis Vós. Para que estejamos sempre dispostos a cumprir a vontade divina, é utilíssimo que desde de manhã nos representemos as contrariedades que nos possam suceder durante o dia.

Saber Esperar. Un texto de Fray María Rafael



12 de julio de 1936 - 25 años
Meditaciones de un trapense - San Isidro

Saber esperar

En la Trapa tenemos los trapenses un consuelo muy poco conocido en el mundo... Aquí en la casa de Dios y separados del bullicio de los hombres, se ve de una manera palpable lo corto que es todo lo que pasa con el tiempo... En el mundo también, pero es de otra manera.

El mundo cuando comenta la rapidez de la vida lo hace con un “dejo" de tristeza; se lamenta de la brevedad de todo... El hombre vive muchas veces del recuerdo… y lo que pasó ¿de qué le sirve?... No se enmienda, sigue buscando en la vida que aún le queda, lo que no encontró en la vida que vivió. Le llegan los años últimos y en estos aún nota más la nostalgia de lo que pasó, y lo breve de todo… triste vejez la del mundo.

En la Trapa, al monje lo que fue ya no le importa… Solamente tiene el inmenso consuelo de saber que lo que aún le queda, ha de pasar. ¿Qué hacer, pues sino esperar? Y con qué alegría y paz se espera, lo que es cierto ha de venir.

Qué paz da al alma pensar, que lo que espera, ni los hombres ni los acontecimientos pueden impedir su llegada... Cada día que pasa, es un día más que nos acerca al comienzo de la verdadera vida.

Lo que para el mundo es el fin, para el monje es el principio. Todo llega, todo pasa..., sólo Dios permanece.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

O BOM COMBATE NA ALMA GENEROSA - Parte XVIII

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

O BOM COMBATE 
NA
ALMA GENEROSA

Missionárias de Jesus Crucificado de Campinas


Cooperemos com a Misericórdia para nossa santificação

Jesus, Rei de misericórdia, Pai compassivo, Esposo sempre pronto a perdoar, venho aqui ante Vossa presença adorável, neste Divino Sacramento, primeiramente, para Vos pedir perdão dos meus pecados. Sim, muito me pesa de Vos ter ofendido, ó meu Jesus, ainda que nada sinta! Sensibilidade não tenho mais, mesmo assim eu desejo ser santa e aborreço minhas iniquidades, porque esta é a Vossa vontade! Vós quereis que eu seja santa, eu também o quero ser, e para isso ei de empregar toda minha boa vontade, e estar aliada à Vossa Santíssima Misericórdia. Dizei-me, ó Jesus misericordioso, o que devo fazer para realizar este Vosso desejo de aliar minha tão pequenina vontade à Vossa infinita Misericórdia? Falai, Senhor, porque tenho sede da Vossa Palavra divina!

ATENÇÃO: Novena em sufrágio as almas do purgatório - 25/10 (HOJE) até 02/11


Novena en sufragio de las benditas animas del purgatorio.
(Suplicando ao Sagrado Coração de Jesus)


PRIMER DÍA (25/10)

Por la señal de la Santa Cruz , etc.

Oración para todos los días
¡Señor mío, Jesucristo! Postrado ante tu divina presencia, yo te adoro con el mayor rendimiento, y reconociéndome indigno de que mi oración te sea acepta por la enormidad y multitud de mis infidelidades, yo te suplico humildemente te dignes mirarme con ojos de misericordia y concederme el perdón de todos mis pecados, por los méritos infinitos de tu Sangre preciosísima, así como la asistencia de tu divina gracia para preservar en tu servicio hasta el último momento de mi vida. Amén.

DEFINIÇÃO CATÓLICA DA HISTÓRIA




A mais ingênua, e, contudo, a melhor definição da história, é esta aqui: "A história é a narrativa do passado".

Porém, no passado, há certos fatos que tiveram influência sobre o mundo, e não unicamente sobre o mundo dos corpos, mas sobre o das almas. Há outros, ao contrário, que não tiveram nada desta influência. Reserva-se o nome de história à narrativa dos acontecimentos realmente influentes. Daí vem que não se prodigaliza a palavra histórico, e que se honra com ela somente alguns homens e algumas coisas que a merecem. 

E assim como, nestes acontecimentos importantes, o dedo de Deus está, aos olhos do cristão, constantemente e evidentemente assinalado, pode-se dizer cristãmente: "A história é a narrativa das relações mútuas de Deus e do homem no passado".

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

TRATADO DO DESÂNIMO - Parte XXII

Nota do blogue: Acompanhar esse especial AQUI.

TRATADO DO DESÂNIMO NAS VIAS DA PIEDADE
Obra póstuma do Padre J. Michel - 1952


SOBRE AS LEITURAS QUE SE FAZEM DURANTE A MEDITAÇÃO, OU ASSISTIN­DO AO SACRIFÍCIO DO ALTAR.

Há pessoas que, nesse estado de secura, em que a sua mente e o seu coração não fornecem nada para elas se entreterem com Deus, servem-se de livros para supri­rem à sua impotência e para se recolhe­rem mais facilmente, e se impedirem de distrair-se. Este método pode ser bom, porque a leitura pode deter e fixar a ima­ginação. Se esta se extravia, e se o per­cebemos, temos sempre diante dos olhos, nas reflexões e nos sentimentos que os li­vros encerram, objetos que nos recondu­zem a Deus. Penso, contudo, que não nos devemos apegar a essas leituras sem ne­cessidade, e sem seguir certas regras que as possam tomar úteis.

Primeiramente, não se deve recorrer aos livros por preguiça, para se poupar a pena de pensar e de conversar com Deus. Este motivo afastaria Deus de vós, e seria cau­sa de não achardes nos livros o recolhi­mento que neles buscais. Para atrair so­bre vós as misericórdias do Senhor, cumpre que o motivo que vos faz agir seja bom; e esse que então vos guiaria não seria bom.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Exercícios Espirituais para Crianças - PARTE SEGUNDA (Via iluminativa) - II. O NASCIMENTO DE CRISTO

Nota do blogue: Acompanhe esse Especial AQUI.
Fr. Manuel Sancho, 
Exercícios Espirituais para Crianças
1955
PARTE SEGUNDA A Imitação de Cristo
(Via iluminativa)


II. O NASCIMENTO DE CRISTO

Os Presépios. — 2. O Nascimento de Cristo. — 3. Grandeza do Menino Deus, e por que Ele Se veste da nossa carne. — 4. Contemplação da Virgem e de S. José. — 5. O amor à humildade e pobreza, fruto desta consideração. — 6. Caso curioso que se passou numa Missa do Galo.

1. — Em tempos de Natal veem-se Presépios magníficos. Há-os com fontes, lagos, prados de musgo, bosquezinhos diminutos. Nos tanques de vidro nadam patos, cada um tão grande como meio tanque; e há galinhas junto a umas choupanas, e pastores e vaquinhas e carneiros diminutos; moinhos de vento, rios, pontes, aldeiazinhas, montanhas de cortiça... Pelos caminhozinhos brancos de areia caminham pastores e pastoras com muitos presentes para o Menino. Mas o principal de tudo é uma gruta dentro de um portal, e no mais profundo da gruta, num berço de palha, está o divino Menino; Sua Mãe de um lado, e S. José, com sua vara florida, do outro; aquecendo-o com o seu bafo, o boi e a mula, e uma turba de anjos voando pelo ar... Ao longe fazem fundo umas montanhas cinzentas; por cima um céu vermelho acinzentado; trepando montanhas acima e serpenteando, veredas como fitas brancas. Veem-se umas barcas com suas velas num mar distante e... acabou-se o Presépio.

domingo, 20 de outubro de 2013

TRATADO DO DESÂNIMO - Parte XXI

Nota do blogue: Acompanhar esse especial AQUI.

TRATADO DO DESÂNIMO NAS VIAS DA PIEDADE
Obra póstuma do Padre J. Michel - 1952


ESFORÇOS QUE SE FAZEM PARA SER TOCADO SENSIVELMENTE; ESFORÇOS INÚTEIS, E NÃO RARO PERNICIOSOS, FONTE DE UM DESÂNIMO DESARRAZOADO.

Outra fonte de desânimo vem do fato de alguém se atormentar para ser tocado sensivelmente. Fazem-se para isso os maiores esforços. Imagina-se que, sem es­sa sensibilidade, não se pode ser agradá­vel a Deus: como se Deus fizesse questão de um sinal tão equívoco na piedade, e não sondasse o coração; como se Jesus Cristo, na maior desolação, no Horto das Oliveiras, não tivesse sido sempre infi­nitamente agradável a Seu Pai.

São Pedro de Alcântara, Confessor



São Pedro nasceu em 1499, na cidade espanhola de Alcântara, Extremadura, que fica perto da fronteira com Portugal, recebendo o nome de Juan de Sanabria Garcia Garavito. Seu pai, Pedro Garavito, juris consulto ilustre, exercia o cargo de governador de Alcântara. Sua mãe, Maria Vilela de Sanabria, filha de Juan de Sanabria e de Urraca González Maldonado, é, pois, descendente de uma grande família espanhola, e não ficava aquém das virtudes e raras qualidades do marido. Pedro Garavito falece em 1506 e dona Maria contrai segundas núpcias, casando-se com o também viúvo Alonso Barrantes, em 1508.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

PECADOS DE IGNORÂNCIA, DE DEBILIDADE E DE MALÍCIA

Padre Garrigou-Lagrange
Les Trois Ages de la Vie Interieur
Tradução: Rafael Horta

PECADOS DE IGNORÂNCIA

Com relação à vontade, a ignorância pode ser antecedente, conseguinte ou concomitante. A ignorância antecedente é aquela que não é de nenhuma forma voluntária e se chama “moralmente invencível” Por exemplo: crendo atirar contra um leão, em uma espessa selva, um caçador mata um homem, cuja a presença não podia suspeitar. Neste caso não há pecado voluntário, senão unicamente material.

A ignorância conseguinte é aquela que é voluntária, ao menos indiretamente, pela negligência que existiu em inteirar-se do que podia e deveria saber; se chama ignorância vencível, porque teria sido possível livrar-se dela; assim é causa de pecado formal, indiretamente voluntário. Por exemplo: um estudante de medicina, depois de vários anos de muito vagabundar e estudar pouco, por influência ou casualidade recebe seu diploma de doutor; como ignora quase tudo pertinente à arte da medicina, um dia acontece que acelera a morte de um enfermo, em vez de curá-lo. Não há, neste caso, pecado diretamente voluntário, porém indiretamente e que pode ser grave, já que é possível chegar ao homicídio por imprudência ou grave negligencia.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

TRATADO DO DESÂNIMO - Parte XX

Nota do blogue: Acompanhar esse especial AQUI.

TRATADO DO DESÂNIMO NAS VIAS DA PIEDADE
Obra póstuma do Padre J. Michel - 1952


PERDE-SE O TEMPO NA MEDITAÇÃO: PRETEXTO PARA ABANDONÁ-LA; PRE­TEXTO FALSO, E NÃO RARAS VEZES CRIMINOSO, NAQUILO QUE PODE TER DE REAL. MEIOS DE SE OCUPAR UTILMENTE NA MEDITAÇÃO

Mas afinal, acrescentam algumas vezes certas pessoas, bastas vezes sucede não se ter nenhum atrativo particular. Prepara-se ou resolve-se ler um assunto, que logo se esquece, ou no qual não se acha com que se ocupar, ao menos por longo tempo. Neste caso, não se sabe o que fazer na ora­ção. E logo a gente se persuade de que perde aí o seu tempo, que empregaria me­lhor noutro lugar e em alguma ocupação do seu estado. Não é melhor seguir esta idéia do que estar na oração sem aí fazer nada?

Esta idéia é uma tentação perigosa e funesta, que afasta de Deus uma alma e a faz esquecer a Deus, justamente pela ocupação que ela toma contra a vontade d’Ele.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

A QUEM PERTENCEM OS FILHOS?



Parece inútil esta pergunta. Os filhos, direis, são dos pais e especialmente da mãe. Não é a mãe que os traz durante tanto tempo no seu seio? Que os nutre com seu próprio sangue e com seu leite e os considera como uma coisa única consigo mesma? 

A mãe começa a amar a sua criatura antes mesmo que ela comece a alegrá-la com seus amáveis sorrisos. 

Um filósofo antigo fez esta pergunta: Quem é que mais ama os filhos, o pai ou a mãe? A mãe, responde ele, porque ela os traz à luz com dores indizíveis. 

domingo, 13 de outubro de 2013

13 de outubro dia do Santo Rei Eduardo, o Confessor.



Santo Eduardo, o Confessor (ca. 1004 — 5 de Janeiro, 1066) foi o penúltimo Rei saxão de Inglaterra, entre 1042 e 1066. Era filho de Ethelred II e de Ema da Normandia.Juntamente com o pai, o irmão Alfredo e o resto da família, Eduardo fugiu para a Normandia durante a invasão dinamarquesa de 1013. Permaneceu na corte do Duque da Normandia, Roberto I da Normandia até 1041, data em que foi convidado pelo meio irmão Canuto II a regressar a Inglaterra. No ano seguinte Canuto II morreu, possivelmente envenenado, e Eduardo subiu ao trono restaurando a dinastia saxã que se iniciara com Alfredo, o Grande. Eduardo foi coroado a 3 de Abril de 1043 na Catedral de Winchester. O exílio na Normandia teve bastante influência no reinado de Eduardo, nomeadamente no favor que concedia aos nobres normandos em desfavor dos saxões e dinamarqueses. A discórdia entre os súbditos aumentou e Eduardo acabou por casar com Edite, filha de Godwin, Conde de Wessex, em 1045 para acalmar a situação. O pai de Edite mostrou-se inicialmente favorável, mas depois se revelou um opositor, interessado nas regalias que poderia o reinado inglês oferecer. Rei da Inglaterra, venerado por sua piedade e por seu espírito de caridade.

sábado, 12 de outubro de 2013

TRATADO DO DESÂNIMO - Parte XIX

Nota do blogue: Acompanhar esse especial AQUI.

TRATADO DO DESÂNIMO NAS VIAS DA PIEDADE
Obra póstuma do Padre J. Michel - 1952


FALTAS QUE AS ALMAS PIEDOSAS CO­METEM NO TEMPO DA SECURA

Os tempos de secura são difíceis e pe­nosos para uma alma que busca a Deus sinceramente; essa provação desanima muitos. Mas ouso dizer que esses tempos são mais penosos e mais perigosos por causa da conduta que seguem ordinariamente as pessoas assim provadas. A pri­meira falta que elas cometem é faltarem à confiança na oração, é descurarem o dar-se a ela, ou a ela se aplicarem dis­plicentemente num tempo em que mais necessidade têm dela. A dificuldade que achamos em aplicar-nos nunca deve fa­zer-nos abandonar os exercícios de pie­dade que são ou de dever ou de uso. A virtude consiste em fazer a vontade de Deus: não se pode inculcar excessivamen­te isto. Deus quer que, em tal tempo, uma alma religiosa esteja na meditação, na oração, no coro, na leitura pública ou par­ticular, etc. Não deve ela faltar a isto, pois ignora se em algum desses exercícios Deus não lhe mudará as disposições: deve, pois, ir a eles com confiança, no desejo e na esperança de aproveitar das graças que Deus lhe conceder.

OS SINAIS DA FALSA E DA VERDADEIRA DEVOÇÃO À SANTÍSSIMA VIRGEM



OS FALSOS DEVOTOS E AS FALSAS DEVOÇÕES À SANTÍSSIMA VIRGEM

Conheço sete espécies de falsos devotos e falsas devoções à Santíssima Virgem: 1º os devotos críticos, 2º os devotos escrupulosos, 3º os devotos exteriores, 4º os devotos presunçosos, 5º os devotos inconstantes, 6º os devotos hipócritas, 7º os devotos interesseiros.

Os devotos críticos

Jacinta de Fátima - A pastorinha de Nossa Senhora

Fonte: SPES



12 de outubro dia de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, Padroeira do Brasil

Fonte: Escravas de Maria
12/10 Sábado
Festa de Primeira Classe
Paramentos Brancos




 

Nossa Senhora da Conceição Aparecida foi proclamada padroeira do Brasil pelo Papa Pio XI, em 16 de Julho de 1930, assinou o Decreto constituindo Nossa Senhora da Conceição Aparecida Padroeira e Rainha do Brasil. Ele legitimou um fato já consagrado pelo povo. Devotos do Brasil todo vinham a Aparecida prestar-lhe sua homenagem. 

 Maria, minha querida e terna Mãe, colocai vossa mão sobre minha cabeça. Guardai minha mente, coração e sentidos para que eu não cometa o pecado. 
Santificai meus pensamentos, sentimentos, palavras e ações, para que eu possa agradar a vós e ao vosso Jesus e meu Deus. E assim, possa partilhar da vossa felicidade no céu. Jesus e Maria, dai-me vossa bênção: + em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

A Mãe segundo a vontade de Deus/ I- Da instrução intelectual

Nota do blogue: Acompanhe esse especial AQUI.

A Mãe segundo a vontade de Deus ou Deveres da Mãe Cristã para com os seus filhos, 
do célebre Padre J. Berthier, M.S
Edição de 1927


DA INSTRUÇÃO

I- Da instrução intelectual

Passemos agora das considerações gerais, que acabamos de fazer, aos diversos ramos de educação, que são: a instrução, a vigilância, a correção, o bom exemplo, e a oração.

A instrução intelectual faz muita diferença da instrução religiosa. Falemos primeiramente da ins­trução intelectual.

Quem poderá contestar-lhe as preciosas vanta­gens? A criança sem educação é muito difícil ensi­nar, de modo a ficar compreendendo, as verdades que deve saber, como cristão. Também a ignorância de tudo quanto diz respeito a salvação, acompanha ordinariamente, sobretudo no campo, a falta de ins­trução. Além disso, quantas carreiras ficarão para sempre fechadas a criança, de quantos empregos será ela excluída, se não for instruída! A ilustração enfim torna o estudo possível e fácil, e adiante tra­taremos das vantagens de que o estudo é fecundíssima origem.

Cenas da Vida de Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face

Fonte: Alexandria Católica

Clique nas imagens para ampliá-las



11 de outubro - Maternidade da Santíssima Virgem Maria

11/10 Sexta-feira
Festa de Segunda Classe
Paramentos Brancos


O Primeiro Concílio de Éfeso foi realizado em 431 na Igreja de Maria em Éfeso, na Ásia Menor o primeiro dos quatro dogmas marianos é o da Maternidade Divina da Santíssima Virgem  Maria. Foi convocado pelo imperador Teodósio II e debateu sobre os ensinamentos cristológicos e mariológicos de Nestório, patriarca de Constantinopla. Cerca de 250 bispos nele estiveram presentes. O concílio foi conduzido em uma atmosfera de confronto aquecido e recriminações, e condenou o nestorianismo como heresia, assim como o arianismo e o sabelianismo ório, patriarca de Constantinopla, defendia que Cristo não seria uma pessoa única, mas que Nele haveria uma natureza humana e outra divina, distintas uma da outra e, por consequência, negava o ensinamento tradicional que a Santíssima Virgem Maria pudesse ser a "Mãe de Deus" (em grego Theotokos), portanto ela seria somente a "Mãe de Cristo" (em grego Cristokos), para restringir o seu papel como mãe apenas da natureza humana de Cristo e não da sua natureza divina. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...