sábado, 20 de julho de 2013

Conselhos sobre vocação (para meninos de 12 a 18 anos) - Parte 17

Nota do blogue: Acompanhe esse Especial AQUI.

CONSELHOS SOBRE A VOCAÇÃO

Padre J. Guibert
(Superior do Seminário do Instituto Católico de Paris)
edição de 1937


3.º A formação profissional.

83. — Este programa está muito acima dos esforços de um dia; mas não podereis realizá-lo senão com a condição de conhecê-lo e tratar de executá-lo desde os primeiros dias de vossa vocação.

Quando Deus vos chamou, não se propôs apenas encher-vos das alegrias da vida religiosa, colocar-vos mais seguramente no caminho da salvação eterna: designou-vos para uma missão especial, reservou para vós uma parte do trabalho que se faz na santa Igreja. As pessoas do mundo nada entendem nesta vocação ao trabalho; imaginam que não entramos na religião senão para evitar os incômodos dos negócios e os cansaços de um penoso ofício. Deus nos livre que assim aconteça! Temos que cumprir uma tarefa: no campo do trabalho, temos uma parte a cultivar.

Mas nossa missão especial, tão laboriosa como sublime, exige ao mesmo tempo grande energia de caráter e vastos conhecimentos profissionais. Pelos meios indicados acima, adquirireis o vigor da vontade que faz aceitar todos os sofrimentos: acrescentarei apenas algumas palavras sobre o modo de desenvolver vossas aptidões.

A Providência pôs em vós, em graus variados sem dúvida, aptidões para todas as boas obras. Algumas predominam, entretanto; foram o motivo que vos determinou a entrar em tal comunidade religiosa de preferência a qualquer outra. Cada Sociedade possui seus trabalhos particulares: as aptidões que é preciso desenvolver em vós, são portanto as mais próprias para vos fazer concorrer á tarefa comum.

84. — Na maior parte dos casos, este desenvolvimento começa por fortes estudos. Os estudos são necessários, com efeito, não somente para o sacerdote e o educador, que exercem a missão de instruir os homens, mas também para os religiosos dedicados à caridade. Porque não estudamos apenas para educar os outros; trabalhamos também para formar nossas almas, para adquirir ciência suficiente a fim de ter prestígio e inspirar confiança, para realçar o brilho de nosso estado.

Todo o menino que Deus chamar à religião dedicar-se-á pois aos estudos. Mas os estudos são custosos; nenhum trabalho pesa tanto como o trabalho intelectual. Nos trabalhos manuais, o organismo se agita, o esforço provém apenas dos músculos, a variedade produz certo interesse. Nos trabalhos intelectuais, o corpo sofre a inação, a vontade padece para se concentrar em um assunto preciso, a memória se aflige para lembrar e conservar os textos necessários, a monotonia pode gerar o aborrecimento. É por isso que vários meninos perdem coragem: impotentes para vencer as dificuldades do estudo, vão até renunciar á sua vocação.

O mesmo não se dará convosco; não tereis medo do esforço que o trabalho intelectual impõe.

85. — Eis vários meios para evitar o desânimo.

Em primeiro lugar, fecundai vosso trabalho pela oração. Não há nada que devais mais recomendar a Deus como dar-vos luz e força para vossos estudos.

Diante de uma dificuldade, rezai interiormente: muitas vezes, depois de alguns minutos de oração, a luz penetra no espírito.

Embora tivésseis ainda invencíveis obscuridades, não vos deixeis desanimar. O que não entendereis hoje, haveis de entendê-lo amanhã. Para que inquietar-vos, se vosso espírito tiver menos vivacidade que o do vizinho? Empregai vossas faculdades e Deus estará contente convosco. Faculdades ordinárias, cultivadas com paciência, dão, frequentes vezes, muito melhor resultado do que faculdades brilhantes mal dirigidas.

Os espíritos mais ordinários conseguem infalivelmente bom êxito quando trabalham com ordem, calma e constância. — Pela calma evitareis a precipitação: o importante não é fazer depressa, mas fazer bem. Um longo trabalho, mal feito, não dá proveito: qualquer exercício aplicado, por mais curto que seja, desenvolve o espírito. — Pela ordem e o método fareis cada coisa em seu tempo e achareis tempo para cada coisa. Não empreenderei estudos acima de vossas forças; não saíreis do programa traçado por vossos mestres. Vagarosa e seguramente, seguireis vosso caminho com perfeição. — Enfim pela confiança, tereis feliz êxito em tudo; alcançareis bom resultado nos estudos e dareis ao vosso espírito todos os conhecimentos profissionais necessários em vossa missão.

86. — Acima de tudo, tratai de adquirir o espírito de reflexão. É ótima coisa desenvolver a memória, por ser ela um armazém que se deve encher de tesouros. Mas é muito mais importante cultivar a inteligência: a inteligência trata de explicar tudo, faz jorrar raios de luz entre os objetos de que se aproxima. Tomai a resolução de compreender tudo nas leituras, nas lições. Notai os pontos em que vos falta luz a fim de pedir esclarecimentos ao mestre.

Se tiverdes a coragem de vencer qualquer inclinação à preguiça e à negligência, se gostardes de entender tudo claramente em vossos estudos, alcançareis, sejam quais forem vossas faculdades, um valor intelectual que vos tornará poderosíssimo nas boas obras.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...