sábado, 20 de julho de 2013

Catecismo do Padre Spirago - Parte 17

Nota do blogue: Acompanhe essa transcrição AQUI.



Divina providência.
Deus e Suas criaturas (6)

O que é a divina providência?

A divina providência é a conservação e o governo do mundo.

1) Deus conserva o mundo quando cuida de que a criação continue durando até o fim do mundo. Anualmente se repete as searas, a milagrosa multiplicação dos pães. – No dia do juízo, sim, o Sol deixará de brilhar e os corpos celestes abandonarão as suas orbitas. Entretanto, o mundo não perecerá, mas será apenas transformado num outro mundo melhor. Acontecerá com a terra como aconteceu com o Sol; à noite ele se põe, com o brilho apagado, mas ressurge no dia seguinte com esplendor dobrado. É o que diz S. Pedro: “Esperamos um novo céu e uma nova terra.”

2) Deus governa o mundo quando cuida de que a criação o glorifique e nos sirva para o bem. Assim como um piloto dirige o navio para que alcance seu destino, Deus governa o mundo para que este realize o seu fim. O fim deste mundo é a glória de Deus e o bem das criaturas. Pelo fato de Deus não se esquecer de uma só criatura sequer na Sua providência, Cristo diz, no sermão da montanha, que Deus cuida até dos pardais, dos lírios e das ervas do campo. É visto com clareza como Deus governa o mundo pela sorte de alguns homens (p. ex. José do Egito), bem como de povos inteiros (p. ex. o povo eleito), e pela santa Igreja Católica; além disso, pelo fato de Deus fazer o mal reverter em bem.

3) De modo particular, devemos estar lembrados da divina providência quando temos que sofrer. Mesmo que não pareça, Deus faz tudo com boa intenção. Nas próprias ciladas que nos armam, encontramos, muitas vezes, a salvação. Pessoas irreligiosas chamam as disposições divinas de acaso.

Por que Deus envia sofrimentos?

1) Ao pecador Deus envia sofrimentos para corrigi-lo e livrá-lo da morte eterna.

É o que demonstra a história do filho pródigo. Deus procede com o pecador como um pai com o filho rebelde. Deus é como um cirurgião: corta para curar. Frequentemente envia doenças para reparar a alma.

2) Deus envia o sofrimento ao justo para prová-lo e aumentar-lhe a perfeição da alma e a futura bem aventurança.

1) O mestre examina o aluno para poder dar boa nota. Deus prova, para poder dar felicidade. Deus provou os anjos, os primeiros homens, Jô e Tobias e o pobre Lázaro. Por isto diz S. Paulo: “Através de muitas tribulações nos é dado entrar no reino de Deus”. 2) Os sofrimentos conduzem a perfeição, porque purificam os homens dos vícios, assim como o fogo purifica o ouro e a lima limpa o ferro enferrujado. Deus é como um vinhateiro. Diz Jesus Cristo: “Toda videira que produz fruto, Ele a poda para que frutifique mais”. Portanto, nos sofrimentos o homem detesta os prazeres pecaminosos do mundo. Os sofrimentos aumentam o zelo pela oração; prova disto são os Apóstolos que se puseram a rezar durante a tempestade no lago. Como diz o adágio: “A necessidade ensina a rezar”. 3) Cristo falou aos Apóstolos: “Vossa tristeza se converterá em alegria”. Os sofrimentos, em geral, trazem desde cedo alegrias para o justo. É o que se vê na vida de Jacó, que tornou a encontrar seu filho José feito rei. S. Paulo diz: “Todas as coisas cooperam para o bem para aqueles que amam a Deus”. Por maior que seja um mal, sempre encerra em algum bem. Não desanimes nas adversidades, pois a dor e as penas se transformarão em alegria. São, portanto, insensatos os que, nas desgraças, põem fim a vida.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...