terça-feira, 23 de julho de 2013

A Importância de Seu Filho

Por Michael J. Rayes
Traduzido por Andrea Patrícia

  
Um dos deveres principais dos pais é ter a certeza de que seus filhos tem o que eles precisam para crescer até se tornar homem e mulher. No nível mais básico, isso engloba comida, abrigo e roupas. As crianças, entretanto, precisam de muito mais do que isso. O homem nasceu para a eternidade e um dia deve retornar ao Deus que o criou.

Nosso mandato como pais é preparar os nossos filhos para este encontro com o nosso Salvador amoroso.

Tal preparação envolve formação espiritual e intelectual. O sacramento da Crisma é uma parte maior desse desenvolvimento.


As crianças devem ser normalmente crismadas entre as idades de 10 e 12 anos. Se for mais cedo do que isso, as crianças vão ter que enfrentar uma grande dificuldade para memorizar a doutrina. Mais tarde do que isso, a criança será privada de algumas graças necessárias e ajuda do Espírito Santo.

Quando fazem a Crisma, as crianças recebem a força do Espírito Santo bem na fase em que suas mentes jovens estão começando a compreender ideias, mas antes delas começarem a jornada da adolescência. A Crisma é também, no plano psicológico, um rito de passagem. Essas passagens são importantes porque elas marcam uma transição clara de um nível anterior de maturidade para um nível novo, mais forte. Isso ajuda seu filho a crescer.

A Crisma tem quarto efeitos: aumenta a graça santificante que seu poeirento filho de 11 anos de idade recebeu quando ele era um bebê recém-batizado completamente limpo. Aumenta sua fé, coloca uma marca indelével em sua jovem alma, e também lhe dá os sete dons do Espírito Santo.

Esses quatro efeitos na verdade não são fáceis de medir. Como você sabe que eles estão realmente lá? Seu filho ou filha pode não se “sentir” muito diferente, não mais do que você se sentiu em sua Crisma. Isso é porque os efeitos do sacramento causam uma mudança no seu estado de ser, mas não está atado as suas paixões, nem aos seus apetites sensoriais. Em outras palavras, a alma é modificada, mas as emoções normalmente não são afetadas. Se alguém usa uma forte presença de espírito para refletir sobre a recepção do sacramento, as emoções podem também ser animadas o bastante para causar uma reação: talvez lágrimas de alegria, júbilo, uma sensação de contentamento.

Sete Dons Para Seu Filho

A importância da Crisma não está no que podemos ver ou sentir; em vez disso, é essencial para sua família por causa do que ela faz pela sua alma e as almas de seus filhos. Vamos dar uma olhada mais de perto nos dons do Espírito Santo e como avaliar seus efeitos sobre seu filho.

A enumeração dos sete dons vem de Isaias 11,2-3:

Sabedoria,
Inteligência,
Conselho,
Fortaleza,
Ciência,
Piedade,
Temor de Deus.

Como você sabe que alguém recebeu os dons? Certamente é mais fácil ver as virtudes na prática, mas e os dons? Tenha em mente que quando o Espírito Santo vem, uma das manifestações de Sua presença é um vento suave (III Reis 19,12-13, João 3,8, João 20,22). Na natureza, o vento não pode ser visto. Nós podemos senti-lo passando, e ver seus efeitos ao observar folhas ou outros objetos se espalhando depois. Os dons do Espírito Santo são medidos de modo análogo. Você acabará por ter evidências de que os dons estão realmente lá.

Considerando esses dons, procure por esses efeitos e compare isso com as reações da criança antes da Crisma dela. Você poderá notar que a criança vai à confissão com um pouco mais de frequência. Ou talvez ele ou ela explique assuntos da Fé para seus jovens irmãos diferentemente de antes. Pode existir uma resistência muito forte a novidades na oração ou prática litúrgica. Um dos meus filhos na idade madura de 13 anos disse a um parente que nos visitava que sua paróquia não é "católica”. (Mais tarde, nós discutimos a virtude da prudência).

Os Dons na Prática

Santo Tomás de Aquino diferencia entre os atributos mundanos e os dons do Espírito Santo (Summa, II-II, Q. 45, A. 4). Isso é importante porque eles normalmente têm os mesmos nomes. Por exemplo, um experiente membro de gangue em uma área urbana, ou um professor universitário liberal, podem ter muito da sabedoria mundana que Santo Tomás considera “adquirida pelo estudo e investigação da razão” e que os homens em estado de pecado mortal podem possuir. A sabedoria como um dom sobrenatural, por outro lado, é saborear as coisas de Deus e direcionar as ações para a glória de Deus.

A sabedoria como dom do Espírito Santo é um efeito da caridade. A sabedoria como um atributo mundano não tem nada a ver com caridade, mas é simplesmente o uso aplicado do conhecimento mundano que foi adquirido.

Para si e para seus filhos, você quer ambas. Quando sua filha de 10 anos de idade de repente para de correr e se lembra de olhar para os dois lados antes de atravessar a rua, ela está exercendo a sabedoria mundana.  Quando seu filho de 19 anos de idade volta de uma tarefa cedo para que ele possa participar do rosário em sua capela em vez de fazer lição de casa, ele está exercendo tanto o dom da sabedoria quanto o atributo mundano.

Você pode começar a notar os efeitos da piedade e do temor de Deus em seus adolescentes mais velhos. Esses dois dons equilibram-se mutuamente: A piedade dirige o coração para amar a Deus como Pai e obedecê-lO por amor. O temor do Senhor direciona o coração para ter pavor do pecado por medo de ofender a Deus como Pai. A piedade é motivada por uma aspiração pacífica; o temor do Senhor é motivado por uma aspiração terrível. Ambas são necessárias e consideradas dons do Espírito Santo.

Como devemos entender esse temor, esse pavor? São Jerônimo usou a mesma palavra para o temor em dois versos diferentes, quando ele traduziu a Vulgata Latina a partir do grego. Isaias 2,3 usa timor Domini (temor do Senhor) e Ef. 5,33 usa “timeat virum” (as mulheres devem temer seus maridos). Isto deve ser entendido como significando o medo de ofender. Em outras palavras, o "medo" neste contexto é o respeito, não o pavor.

Seu filho adolescente mai velho pode, por vezes, parecer ter uma pacífica e feliz aspiração em amar a Deus. Ele pode outras vezes, se arrastar para o confessionário e até mesmo não parecer muito feliz com a prática da sua Fé. São João Bosco colocou isso dramaticamente em um de seus sonhos: garotos adolescentes evitavam a simbólica carne ruim de uma cobra venenosa, mas voltavam-se olhando ansiosamente para a carne!

Preparação para o Sacramento

Psicologicamente, a preparação para a Crisma pode ser considerada uma preparação "híbrida". Os pais fazem a criança receber o sacramento e fazem alguma parte do trabalho, como acontece com o Batismo; mas quem recebe também tem que desejar isso e fazer a maior parte da preparação por conta própria. É importante que seu filho realmente tenha o desejo de receber a Crisma. Caso contrário, a jovem alma não pode estar adequadamente disposta para receber os efeitos mais completos dos sete dons. Talvez uma das melhores maneiras de edificar esse desejo em seu filho seja passar tempo preparando-se para isso e assistir a outras cerimônias de Crisma antes que a criança receba a sua. Isto lhe dá algo ao qual ele pode ansiar.

A preparação, é claro, é para memorizar as orações e a doutrina do catecismo. Deve-se mostrar um grande esforço para aprender e praticar a Fé, a fim de receber os benefícios do sacramento. Esta preparação da criança também mostra ao seu pastor que a Crisma e posterior prática da Fé vão ser levadas a sério.

A preparação para a Crisma pode levar um período de alguns meses antes de seu recebimento. A Angelus Press produziu um excelente e conciso livreto, Preparation for Confirmation, contendo todo o conhecimento mínimo necessário para alguém ser devidamente preparado para o sacramento.

O Fruto do Trabalho Duro

Há claros benefícios para os exercícios repetidos, os questionários, as recitações e os testes.

Toda essa memorização mecânica do conteúdo doutrinário no início da vida se torna verdadeiramente valiosa ao lidar com uma crise de vida. Muitos adultos têm de lidar com os pais idosos morrendo, bebês natimortos, funerais de seus entes queridos, e outros eventos de partir o coração. Aqueles que não têm uma base sólida de doutrina católica podem estar mal preparados para esses eventos, e, assim, lidar com o sentido da vida e da morte. Eles sempre vêm com uma filosofia do momento, vaga, humanista, porque eles não têm outra resposta.

O católico instruído, por outro lado, quase instintivamente sabe a razão e o sentido do sofrimento. Ele sabe o porquê da morte ter entrado no mundo, em primeiro lugar. O católico catequizado primeiro se volta para o seu conhecimento da Fé, e então usa a sua vontade para aceitar ou rejeitar isso.

O corpo de conhecimento catequético não é simplesmente para os tempos de crises da vida adulta, entretanto. Os adolescentes irão perceber que essas informações ajudam quando eles começam a classificar todos os contributos que recebem de ideias e eventos mundanos. O jovem de 15 anos de idade não mais simplesmente leva ao pé da letra o que a mãe diz. Ele investiga. Ele questiona. É um momento maravilhoso da vida e algumas vezes assustador.

Crisme seu garoto antes que a mente dele alcance esse ponto. Obtenha essa marca indelével para a alma dele para que assim seu intelecto tenha um ponto de referência. Dê a ele esses sete dons, para que ele possa mais facilmente lutar contra a tentação e amar a Deus. Você está preparando seu filho para o seu eventual julgamento diante de Nosso Abençoado Redentor.

O autor:
Michael J. Rayes é um católico, um esposo, pai de sete. Ele tem publicações na Rafka PressLatin Mass Magazine, e outros.

Original aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...