sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Doutrina Cristã - Parte 13

Nota do blogue: Acompanhar esse Especial AQUI.

Monsenhor Francisco Pascucci, 1935, Doutrina Cristã
tradução por Padre Armando Guerrazzi, 2.ª Edição, biblioteca Anchieta.

I - Dos Mandamentos em geral
Breves notícias históricas

8. - Deus, ao criar o homem, lhe imprimiu Sua lei no coração, afim de que o homem conhecesse o que devia fazer para se salvar.
Aos preceitos da lei natural, entre os quais tambem havia o geral - de se honrar a Deus em qualquer tempo - ajuntou o preceito positivo - de se observar o sábado.
Era a luz que guiava o homem em suas ações.
            Pelo pecado essa luz se entenebreceu e, por causa das paixões, foi sempre crescendo tal escuridade, de forma que os homens se esqueceram quase inteiramente dessa lei. Veio, então, Deus em socorro do homem, dando-lhe a lei escrita.
Três meses depois, os Hebreus haviam saído do Egito guiados por Moisés e se dirigiam, através do deserto, para a terra permitida. Chegados às faldas do Monte Sinai, Deus ordenou a Moisés ascendesse ao monte, e, ali, entre relâmpagos e trovões, lhe entregou a lei escrita em duas tábuas de pedra.
Ao descer da montanha, encontrou Moisés o povo de Israel em adoração ao bezerro de ouro. Num ímpeto de justo desdém, espedaçou as tábuas da lei. O Senhor de novo lh'as entregou, e foram ciosamente guardadas na Arca da Aliança, até à destruição do templo por Nabucodonosor.

Definição

9. - Os mandamentos de Deus ou Decálogo são as leis morais que Deus, no Velho Testamento, deu a Moisés no Monte Sinai e Jesus Cristo aperfeiçoou no Testamento Novo.
As leis morais, isto é, os preceitos que regulam os costumes, ou melhor, a vida de cada homem. Dadas por Deus a Moisés no Monte Sinai, entre o fuzilar de relâmpago e o ribombo de trovões, para indicarem o poder de Deus e o espírito de servidão da lei antiga; confirmados e aperfeiçoados por Jesus Cristo, que pôs como base os dois preceitos da caridade, a saber: - o do amor de Deus sobre todas as coisas e do amor ao próximo, como a nós mesmos, por amor de Deus, sem distinção de amigos e inimigos, por sermos, todos, filhos do mesmo Pai, que está nos céus.

Quem os deve observar

10. – Todos os homens devem observar os mandamentos:
1.º - porque estes foram impostos por Deus, Criador e Senhor absoluto dos homens e das coisas;
2.º- porque são conformes à natureza e à sã razão.
Quem, pois, deliberadamente transgredir um mandamento qualquer de Deus em coisa grave, peca gravemente contra Deus e merece o inferno.
Os mandamentos podem ser todos e sempre observados, até nas mais acerbas tentações, com a graça que Deus não recusa jamais a quem do coração O invoca.

II. DOS MANDAMENTOS EM PARTICULAR
Parte positiva e negativa

11. - Pode-se notar em cada mandamento uma parte positiva, que nos impõe alguma coisa a fazer, - e uma parte negativa, que nos proíbe o que quer que seja a evitar.

Proêmio

12. - As palavras "Sou o Senhor teu Deus" postas à frente dos mandamentos, significam que Deus, por ser nosso Criador e Senhor, pode mandar o que quer e nós, criaturas Suas, somos obrigados a obedecer-Lhe. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...