sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Amor de Deus - 4.ª Parte (Tibieza)

Nota do blogue: Acompanhar esse Especial AQUI.

Cônego Júlio Antônio dos Santos
O Crucifixo, meu livro de estudos - 1950

1- Tibieza

Que é a tibieza?

Que é a tepidez na água? É uma mistura de frio e de calor. Que é a tibieza na alma a que Deus mostra ter tanto horror?- É uma mistura de bem e de mal. - Uma alma tíbia não quererá cometer pecados mortais, eis o calor; mas comete facilmente toda a sorte de pecados veniais, eis aí o frio. Não quererá cair em excessos consideráveis, eis aí o calor; mas dá respostas desabridas, é seca e impaciente, eis aí o frio. A desonestidade desagrada-lhe, eis o calor; mas apraz-lhe uma vida regalada e inútil, eis o frio. - Não desejará ter bens alheios, eis o calor; mas, aos seus tem apego desordenado, eis aí o frio. Não murmurará de uma falta grave, eis o calor; mas murmura de faltas leves, eis aí o frio. O tíbio faz boas obras, eis o calor, mas é com frouxidão e com intenção não mui pura; eis o frio. A sua vida é uma mistura contínua de bem e de mal, de frio e de calor.

1-      Efeitos da tibieza

1 -Imperfeições nos exercícios de piedade

O primeiro sinal da tibieza é a negligência com que se cumprem os deveres de piedade, ofendendo assim a Deus com as mesmas ações com que se pretende servi-lO. Daqui vem às orações sem a devida atenção e devoção, e, por consequência, sem proveito. Daqui procedem as confissões sem preparação, sem resolução e sem emenda, parecendo que essas pessoas só se confessam para pecar e só pecam para se tornarem a confessar. Daqui provém as comunhões sem a devida preparação e ação de graças que tão necessárias são para que elas se façam com fruto.

2 - Abandono dos exercícios de piedade

Um dos efeitos da tibieza é a grande facilidade em se abandonarem os exercícios de piedade: a oração, a meditação, a confissão e a comunhão. O menor embaraço estorva, o menor divertimento é uma forte razão para uma alma tíbia deixar de ir aos atos religiosos.

3 - Abandono dos deveres de cristão

O cristão deve combater só suas paixões, adquirir as virtudes contrárias e exercitar-se
nas boas obras próprias do seu estado. Estas três coisas encerram as obrigações essenciais de um cristão e devem ser a sua principal ocupação; mas uma alma tíbia descuide-se delas
inteiramente.

II - Gravidade da tibieza

1 - A tibieza é o hábito do pecado venial

O tíbio vive em pecado venial. Para que haja tibieza são necessárias três coisas: pecado venial plenamente voluntário; hábito deste pecado e, enfim, falta de esforço para se corrigir.

2 - A tibieza conduz ao pecado mortal

O desprezo das pequenas coisas, das faltas leves conduz à prática de faltas graves.
Nosso Senhor adverte-nos de que quem é fiel nas pequenas coisas sê-lo-á também nas grandes.
Havia um operário que, quando forjava uma barra de ferro examinava-a com todo o cuidado antes de pô-la à venda: E dizia de si para si: se não é bastante forte e lhe colocarem um grande peso pode haver uma grande desgraça. Voltava, pois, tornava a voltar a barra e examinava atentamente se nela havia alguma falha; e se a descobria, quebrava a barra e com os pedaços fundia outra e corrigia assim o defeito da primeira.
A barra de ferro foi aplicada na construção de uma grande ponte. Pouco tempo depois, passou um grande exército e a barra deu de si e ficou recurvada.
A consciência cristã e profissional do operário preservou o exército de uma horrível catástrofe.
Devemos ser fiéis nas pequenas coisas senão está tudo perdido.
Um religioso encarregado do refeitório não apanhava cuidadosamente as migalhas do pão deixadas sobre a mesa. À sua morte viu o demônio com um saco cheio de pão. Assim o inimigo da salvação queria fazer cair em desânimo o pobre moribundo; porque sabia bem que Deus exige, das almas destinadas à perfeição, uma conta mais severa.

3- A tibieza leva à condenação eterna

Eu quisera que fosses frio ou quente, diz o próprio Deus mas porque não és frio nem quente eu te lançarei para longe de mim, como um vômito que me revolve e aflige as entranhas. (Apoc., III, 15 -16).
A tibieza é tão funesta disposição que faz com que o tíbio seja como que pesado ao Coração de Jesus que não pode sentir alívio senão lançando-o fora. Ai! se o Coração de Jesus nos lança e arroja longe de Si aonde nos acolheremos? Não há outra parte senão o inferno. Na verdade se não temos parte no Seu amor o que somos senão condenados!
O Espírito Santo lança sobre os tíbios a mesma sentença de maldição que sobre os condenados do inferno. “Maldito seja aquele que trabalha com negligência no serviço de Deus.”
Santa Teresa viu o lugar que lhe estava destinado no inferno se não saísse do estado de frouxidão e infidelidade em que viveu algum tempo: não havia meio termo para ela; ou fervor ou inferno. Devemos corresponder às belas disposições que Deus nos dá para a virtude; bela alma, bom coração, juízo reto e muitíssimas graças.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...