sexta-feira, 28 de junho de 2013

Catecismo do Padre Spirago - Parte 4

Nota do blogue: Acompanhe essa transcrição AQUI.



O conhecimento de Deus

1. Como chegamos ao conhecimento de Deus?

Chegamos ao conhecimento de Deus em parte pelas cosias criadas, e com maior clareza pela revelação divina. Do mundo visível podemos concluir p. ex. para o grande poder, para a sabedoria, bondade e beleza de Deus. Por aí não obteremos, contudo, um conhecimento nítido. Assim como de uma bela pintura que vejo posso concluir para a habilidade do pintor; não, porém, para a sua idade, ascendência ou nome, a menos que antecipadamente nos comunicassem, do mesmo modo precisamos também da revelação divina para conhecermos a Deus. – O conhecimento mais nítido de Deus será no céu. Na terra só vemos a Deus como em figura; os habitantes do céu, porém, contemplam-nO face a face.

2. Por que é que o conhecimento de Deus é de suma importância?

O conhecimento de Deus é de suma importância, porque, sem ele, não há verdadeiro contentamento, nem vida honesta.

1) Quem não conhece a Deus é como um pobre cego. Este nada enxerga; aquele ignora o destino de sua vida e desconhece o caminho que para lá conduz; este tropeça e cai à toa; aquele, sobrevindo-lhe alguma infelicidade, facilmente desespera. O cego não tem verdadeira alegria de viver; ao outro falta a verdadeira paz na vida. 2) José II, Imperador, muitas vezes misturava-se disfarçado, entre o povo. Aconteceu-lhe, algumas vezes, ser injuriado por seus funcionários. Naturalmente não o conheceram. Deus está neste caso. Suporta pragas, mentiras, homicídios, roubos e coisas parecidas da parte dos homens, porque estes não o conhecem. A este propósito diz Santo Agostinho: “Infeliz do homem que tudo conhece e não vos conhece a vós, ó Deus!”.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...