domingo, 29 de novembro de 2009

Donzela cristã - Sempre pronta ...


Das virgens prudentes afirmou o amável Mestre que estavam sempre prontas e de lâmpadas acessas nas mãos. Não lhes faltava, portanto, nem o óleo nem a luz, com que deviam ir ao encontro do esposo para o festim.

Semelhante elogio há de merecer também a moça esclarecidamente cristã. A luz da graça no coração não é ainda tudo. É preciso que a jovem seja sempre pronta:

*A servir – a Deus, o que é uma honra; a servir o próximo, o que é caridade e imitação daquele que disse: Eu não vim para ser servido, mas para servir. Hora por hora, vem escoando diante de ti o dia e por elas te pede um serviço, uma dedicação em casa, para com os pais... Não deixes que as horas, mensageiras de Deus, fujam de mãos vazias. Pois, neste caso, serão um dia tuas acusadoras diante do dono do tempo e da eternidade.

*A obedecer – O Mestre, a cujo aceno giram os astros, move-se o mar, voltam as estações e deslocam-se as montanhas, obedeceu ao Pai, a José e a Maria, em Nazaré. Foi submisso aos fiscais de impostos, aos verdugos, e continua sujeito aos sacerdotes. Por isso “lhe deu o Senhor um nome que está acima de todos os nomes”.

Lúcifer recusou obedecer, e hoje o que é?! Não acha que é uma tola pretensão nossa, cada revolta contra a obediência? Não te convences que é apagar tua lâmpada de virgem prudente, quando teimosamente resiste à obediência?

*A dar -Amar não é receber alguma coisa; é dar-se, é entregar-se. Amou-nos o Mestre e por isso deu-nos tudo: seu Pai, sua Mãe, seu paraíso, seu perdão, sua alma, seu Corpo e Sangue, seu Coração. E tu, que lhe deste até agora? Talvez um amor assim a conta-gotas, pesado, medido, dividido.

*A esquecer-seUm egoísta brutal exige que refiramos tudo a nós mesmos. Mas isso não é atitude de cristão e menos ainda é auréola para uma alma de mulher. Sou tão egoísta! Queixam-se certas moças. Que belo, quando sentem o erro nessa vereda do coração. Mais nobre será combater, todos os dias, em alguma coisa, esse egoísmo que lhe punge a alma.

*A devotar-seOs campos da devoção são vastos e férteis. Sempre se colhe neles mais de cem por um. É verdade, a colheita tarda, às vezes; é verdade, parece haver no campo, que absorve nosso devotamento, a erva má da ingratidão. Mas o Filho do homem mandará seus anjos amealhar no celeiro o trigo do nosso sacrifício, grãozinho por grãozinho. Devotamentos nos pensamentos, nos desejos, nas palavras, nas ações e, sobretudo, nos sacrifícios. “És um homem de desejo” – foi o louvor que o anjo trouxe a Daniel.

*A morrer É das prontidões a mais importante. Não se saíram bem aquelas virgens que, à hora do banquete, tiveram ainda de comprar o óleo. Mas se a leitora for cuidadosa em ser pronta nos pontos que expusemos, sê-lo-á também neste último. Nunca estará de luz apagada na morte, quem em vida teve fulgores na alma, teve cintilações e virtudes.

(Audi Filia – Pe. Geraldo Pires de Souza)
PS: Grifos meus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...