sábado, 14 de novembro de 2009

Das relações entre esposos cristãos! - Parte II


Noção do Matrimônio:
1. Nome

Chama-se "Matrimônio", porque o fim principal que a mulher deve propor-se, quando casa, é tornar-se mãe. Noutros termos: porque a função própria de uma mãe é conceber, dar à luz, e criar a sua prole. Chama-se também "conjúgio", do étimo latino "conjungere", porque a legítima esposa e o marido ficam, por assim dizer, ligados um ao outro, por meio de um jugo comum.

Dá-se-lhe, afinal, o nome de "núpcias" (do latim: núbere = velar, cobrir com um véu), porque no dizer de Santo Ambrósio as donzelas costumam cobrir-se com um véu, em sinal de recato; ao mesmo tempo, davam assim a entender que deviam obediência e submissão a seus maridos. (Ambros. de Abraham 1,9)

VII. Deveres dos conjugês:
1. do marido

É, pois, dever do marido tratar sua mulher com bondade e consideração. Importa-lhe recordar que Adão chamou Eva de companheira, quando dizia: "A mulher que me destes por companheira". (Gn3,12)
Por esse motivo, como ensinaram alguns dos Santos Padres, ela não foi formada dos pés, mas da ilharga do homem; da mesma forma, não foi tirada da cabeça, para reconhecer que não era senhora do marido, mas antes sua subordinada.

Depois, é preciso que o marido tenha sempre alguma boa ocupação, não só para prover o necessário ao sustento da família, mas também para não amolecer na ociosidade, fonte de quase todos os vícios. Finalmente, deve o marido governar bem a sua família, corrigir as faltas de todos os seus membros, e manter cada qual no cumprimento de suas obrigações.

2. da mulher

De outro lado, as obrigações da mulher são aquelas que o Príncipe dos Apóstolos enumerou na seguinte passagem: "Sejam as mulheres submissas a seus maridos, de sorte que, se alguns deles não acreditam na palavra, sejam ganhos pelo procedimento de suas mulheres, sem o auxílio da palavra, quando consideram a vossa vida santa, cheia de temor de Deus. Seu adorno não consista exteriormente em toucados, em adereços de ouro, em requintes no trajar; mas antes [ornai] a índole humana que se oculta dentro do coração, com a pureza de sentimentos pacíficos e modestos, que são preciosos aos olhos de Deus. Desta forma se ornavam, antigamente, as mulheres santas que em Deus punham sua esperança, e viviam submissas a seus maridos, assim como Sara obedecia a Abraão (Gn 2, 13; 18, 6-12), a quem chamava de seu senhor" (I Pr 3, 1ss)

Outro dever principal, para elas, seja também educar os filhos na prática da Religião, e cuidar zelosamente das obrigações domésticas.

*De boa vontade vivam dentro de casa. não saiam senão por necessidade, e nunca se atrevam a fazê-lo, sem a permissão do marido* (Levem-se conta certas transformações sociais, do século XVI a esta parte, sem cair nas tendências paganizantes e anticristãs de hoje)

... Ao fim, como requisito essencial para a boa união entre casados, estejam sempre lembradas de que, abaixo de Deus, a ninguém devem mais amor e estima do que a seus maridos; aos quais devem também atender e obedecer, com suma alegria, em todas as coisas que não forem contrárias à virtude cristã.

(Catecismo Romano - Capítulo Oitavo, II; VII)
PS: Os escritos que estão dentro dos ( ) são do rodapé do catecismo, e os grifos são meus.

* É possível comprar esse Catecismo aqui: Site Permanência
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...