sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Prática da caridade para com o próximo

PRÁTICA DA CARIDADE PARA COM O PRÓXIMO



Quem amar a Deus, há de também amar ao próximo: e quem não amar ao próximo também não ama a Deus. Devemos amar o próximo interna e externamente. Internamente amamo-lo:

- Se lhe desejamos o mesmo bem que para nós queremos; se nos alegramos com as suas prosperidades, e, se pelo contrário, nos entristecemos com o seu mal.

- Se procuramos evitar suspeitas ou juízos temerários contra ele. E nisto consiste a caridade interna.

A externa exercita-se:

- Evitando toda e qualquer murmuração, dizendo bem de todos: e, quando uma falta ou delito se não possa desculpar, desculpa-se pelo menos a intenção.

- Evitando referir a um o mal que outro houvesse dito a seu respeito, do contrário, podem muitas vezes originar-se graves discórdias e inimizades.

- Evitando qualquer dito ofensivo, ainda só por gracejo.

- Evitando qualquer altercação, pois ás vezes por coisas de pequena ou nenhuma importância, arma-se rixas e contendas, que logo passam a injúrias, ódios e rancores: e por isso se há de fazer diligência por não contradizer a ninguém, dar a sua opinião só quando for pedida, e calar-se logo.

- Falando a todos com mansidão e doçura, ainda que sejam inferiores, e da mesma forma respondendo a quem nos dirija ou faça alguma injúria. E se alguém se sentir interiormente alterado, deve nessa ocasião calar-se, porque a paixão fá-lo-ia ultrapassar os limites da prudência, persuadindo-lhe a necessidade de assentar a mão, muito embora haja depois de se arrepender de o ter feito.

- Fazendo ao próximo todo o bem, tanto espiritual como temporal, que se possa. "A esmola, diz a Sagrada Escritura, livra do pecado e do inferno", e por esmola entende-se todo o auxílio que ao próximo se presta. A esmola, porém, de maior preço, e mais meritória é a que se dá, socorrendo a alma: por exemplo, corrigindo oportunamente e com doçura sempre que seja possível.

- Visitando, assistindo e consolando os enfermos, ainda que eles se não mostrem agradecidos.

- Beneficiando os próprios inimigos, e, se outra coisa se não puder fazer, pedindo por eles a Deus, como ensina Jesus Cristo Nosso Senhor.

9º- Socorrendo as almas do Purgatório, mandando celebrar missas em favor delas, ouvindo-as, ou dando alguma esmola em seu nome por modo de sufrágio, fazendo oração ou aplicando, para as livrar, todas as indulgências que se possam lucrar.

(A Sagrada Família, por um padre redentorista, 1910)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...