terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Menino Deus

GOZOS
CHORO


Oh! vinde, pastorinhos,
O Rei vinde adorar,
Que lá dos céus à terra
Acaba de baixar.

Vede, em rústico teto
Que se veio abrigar;
Tem por berço um presépe,
Por templo e por altar;
E em leito de palhinhas,
Seu corpinho repousar
Aquele, que astros mil
A Seus pés vê brilhar.

Vede esse astro formoso,
Que O veio anunciar
Aos magos do Oriente,
Pra que o fossem buscar,
E ante o Rei de Judá
Humildes se prostrar,
D'insenso, ouro e mirra
Trino dom Lhe ofertar.

Sem ricas oferendas
Não temas lá chegar,
Que é grato o Deus menino,
A quem fé Lhe prestar;
Até do campo as florinhas
Têm por certo agradar
A Quem com seu sorriso
As faz desabrochar.

A Mãe nos ternos braços
O está a acalentar,
E quer adormecê-lO
Com Seu doce cantar,
E um Anjo Lhe responde
Em tom d'acompanhar,
Honra a Deus nas alturas
"Paz veio aos homens dar".

Vede esbelto mancebo
Humilde ajoelhar,
Que as águas do Jordão
Fora puras libar;
E Jesus que o contempla
Com meigo doce olhar:
E um alvo cordeirinho
Ali perto a balar...

Coração, alma e vida
Lhe vamos ofertar;
Que o Deus, pobre e menino
Quer-nos, meigo, abraçar;
E Seus bracinhos ergue,
Como pra nos chamar;
Vinde, vinde, repete
Com terno bracejar.

Oração jaculatória. - Jesus, Maria e José, iluminai-nos, socorrei-nos e salvai-nos. Amém.
(200 dias de indulgência, uma vez cada dia)

Obséquio. - Por amor da Sagrada Família fazei todas as obras deste dia com a pura intenção de agradar a Deus, procurando dirigi-las sempre do mesmo modo.

Oração

Perdoai-me, ó dulcíssimo Jesus meu, por amor de Maria e de José, e concedei-me a graça de Vos ver um dia no céu, de lá Vos amar, e louvar a Vossa bondade inefável, que Vos levou a fazer-Vos menino por nosso amor. Eu Vos amo, ó bondade infinita, ó meu Jesus e meu Deus, meu amor e meu tudo.

E Vós, ó Maria, Mãe de Deus e minha Mãe, encomendai-me ao Vosso divino Filho, e alcançai-me d'Ele o perdão dos pecados que tenho cometido, e a graça de não tornar a pecar.

Ó meu amado Patriarca, pela amargura que sentiste ao ver o divino Verbo nascido num estábulo, em meio de tanta pobreza, sem berço nem abrigo, e ao ouvi-lO chorar de frio, suplico-Vos que me obtenhais uma verdadeira dor dos meus pecados, que foram a causa das lágrimas de Jesus; e, pelo gozo que tiveste ao contemplar a Jesus menino no presépio, tão belo e encantador, que vosso peito desde então, se sentiu inflamado no mais ardente amor para com um Deus, tão amante, e tão digno de ser amado, alcançai-me também a graça de O amar na terra com amor intenso e de possui-lO no céu eternamente.

EXEMPLO

Havia um piedoso comerciante que tinha uma grande devoção à Sagrada Família. Todos os anos em dia de Natal, assentava três pobres à sua mesa, um senhor, uma mulher e um menino, e servia-os como se houvera recebido a Jesus, Maria e José pessoalmente. Este procedimento foi-lhe largamente recompensado. Depois da morte o caritativo comerciante apareceu a algumas pessoas que rogavam a Deus por ele, agradeceu-lhes a sua caridade, e disse-lhes, que Jesus, Maria e José nos últimos momentos da sua vida o haviam vindo visitar, e lhe disseram: "Já que tu durante a vida nos convidavas a todos três para a tua mesa, agora vimos nós convidar-te para a nossa." E acrescentou que naquele mesmo instante lhe tomaram a alma e a levaram ao eterno festim.

Amado Jesus, José e Maria, o meu coração Vos dou e alma minha.
Amado Jesus, José e Maria, assisti-me na última agonia.
Amado Jesus, José e Maria, expire em paz entre Vós a alma minha.

(A Sagrada Família, por um padre redentorista, 1910, versão do Espanhol por Manuel Moreira Aranha Furtado de Mendonça, Cônego honorário da Sé de Lamego, 3ª Edição, com Breve de Sua Santidade Leão XIII)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...