quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

São Bernardo - Devoto do Sagrado Coração de Jesus

São Bernardo
Devoto do Sagrado Coração de Jesus



São Bernardo (1091 - 1153) considerado com razão como dos mais ternos devotos do Sagrado Coração, fala deste Coração no seu discurso nº 61, no qual comenta as palavras dos cantares: a minha pomba nas aberturas da pedra. "Outro, diz ele, pelas aberturas da pedra, entende as chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo, e com razão: porque Jesus Cristo é a pedra... E onde senão nas chagas do Salvador poderão gozar tranquilidade segura o fraco e o enfermo?... O que poderei ver nestas chagas, senão a misericórdia do Senhor? o ferro transpassou Sua alma e chegou a Seu Coração, para que saiba compadecer-Se das nossas enfermidades. As chagas do corpo nos manifestam o segredo do Coração, nos descobrem o grande mistério do amor".

(Nota de rodapé: Até pouco anos era atribuído à São Bernardo o tratado da Paixão ou da Vida mística do Sagrado Coração de Jesus para as lições do segundo noturno. Nas edições do Oficio divino mais recentes, essas lições são atribuídas à São Boaventura, o Verdadeiro autor do tratado).

Entre as obras do Santo Doutor, existe uma composição em versos, na qual ele considera e saúda com terno afeto a chaga do costado, o peito e o Coração de Jesus. A composição não é de São Bernardo: remonta ao século XIII e pode considerar-se como um conjunto da idade média com referência a este precioso assunto.

Reproduzimos algumas estrofes.


A FERIDA DO COSTADO

Salve latus Salvatoris
In quo latet mel dulcioris
In quo patet vis amoris
Ex quo scatet fons cruoris
Qui corda lavat sordida.
Salve mitis apertura
De qua manat vena pura
Porta patens et profunda
Super rosam rubicunda
Medela salutifera

Te saúdo ó costado Salvador
Onde mel dulcíssimo se esconde,
Onde amor ardentíssimo se mostra
Onde uma fonte de sangue brota
Que lava a mancha dos corações.
Te saudo ó mansa abertura
Da qual rebenta água límpida
Porta aberta e profunda
Mais vermelha do que a rosa
Remédio Salutar

AO PEITO

Salve salus mea Deus
Jesu, dulcis amor meus
Salve pectus reverendum
Cum timore constringedum
Amoris domicilium
Jesu dulcis, pastor pie
Filü Dei et Mariae
Largo fonte tui Cordis
Foeditatem meae sordis
Benigne Pater dilue

Te saúdo Deus salvação minha
Jesus doce amor meu
Te saudo peito venerando
Ao qual me encosto com temor
Asilo da caridade
Jesus doce, é bom Pastor
Filho de Deus e de Maria
Na abundante fonte do Teu Coração
Lava ó Pai amoroso
A sordicies das minhas iniquidades.

AO CORAÇÃO

Summi Regis Cor aveto
Te saluto corde laeto
Te complecti me delectat
Et cor meum affectat
Ut ad te laquar animes
Viva cordis voce clamo
Dulce Corte namque amo:
Ad cor meum inclinare,
Ut se possit applicare
Devoto tibi pectore
Da cor Cordi sociari;
Tecum Jesu, vulnerari;
Nam cor cordi similatur
Si cor meum perforatur
Sagittis improperu

Salve ó Coração do Rei Supremo.
Te saúdo com o coração cheio de alegria
Apertar-te a meu peito é a minha felicidade
É este meu grande desejo
Infundi-me coragem para que te fale
Clamo a ti com viva voz do coração
Porque te amo ó Coração doce:
Inclina-te ao meu coração
De maneira que possa unir-me a ti
Devoto, coração a Coração
Dá-me a graça que meu coração ao Teu seja unido
E conTigo Jesus seja ferido;
Porque o coração será semelhante ao coração
Se meu coração for transpassado
Pelas setas dos ultrajes.

(Eu Reinarei, a devoção ao Sagrado Coração de Jesus no seu desenvolvimento histórico, pelo Pe. Fernando Piazza, da ordem de São Camillo, obra traduzida pelo Dr.Alberto Saladino Figueira de Aguiar; impresso nas "Escolas profissionais do Lyceu Coração de Jesus", ano de 1932)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...