domingo, 15 de maio de 2016

Poesia de Cassiano Ricardo

Deixo os meus olhos ao cego
que mora nesta rua.
Deixo a minha esperança
ao primeiro suicida.
Deixo à polícia o meu rasto,
a Deus o meu último eco.
Deixo o meu fogo-fátuo
ao mais triste viandante
que se perder sem lanterna
numa noite de chuva.
Deixo o meu suor ao fisco
que me cobriu de impostos;
e a tíbia da perna esquerda
a um tocador de flauta
para, com o seu chilreio,
encantar a mulher e a cobra.
Às coisas belas do mundo
deixo o olhar cerúleo e brando
com que, nas fotografias,
as estarei, sempre, olhando...
Aos noturnos assistentes
de última hora – aos que ficam,
o sorriso interior e sábio
que nunca me veio ao lábio.

Cassiano Ricardo, poeta, ensaísta e jornalista nasceu em
São José dos Campos no ano de 1895. Faleceu com 79 anos
na cidade do Rio de Janeiro.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...