sábado, 18 de agosto de 2018

PENSAMENTO DO DIA 18/08/2018


Como somos delicados... num estralar de dedos nossa alegria pode se converter em tristeza; nossa saúde em doença; nossa fortuna em miséria; a morte pode levar aqueles que mais amamos... um dia temos em nossa vida um festim, muitos amigos, manjares e vinhos, noutro o vazio e a fumaça que impregnam o ar com o cheiro da ilusão e falsidade.
Onde está a nossa fortaleza?
Na saúde? No prazer? No dinheiro? Na vida? Nos amigos?... tudo é instável e foge de nosso controle.
Onde está a nossa fortaleza? E eu respondo com outra pergunta: O que pode nos separar do amor de Deus? (Rm 8,35).
Somente nesse amor é que somos fortes, mesmo sentados num punhado de terra, raspando as nossas lepras com um caco de telha (Jó 2,8); desfigurados e sem beleza (Is 53,2); prostrados por terra, tendo unicamente nossas lágrimas como mediação entre o pecado e o perdão (Lc 7,44).
Esse contraste tão presente nas Sagradas Escrituras entre a miséria humana e fortaleza é um chamado à humildade e à compreensão do que somos e do amor de Deus por nós.