domingo, 13 de março de 2016

ATAQUE - Parte VI

Nota do blogue: Acompanhe esse Especial AQUI.

A GRANDE GUERRA 
(LE COMBAT DE LA PURETÉ)
PELO
PE. J. HOORNAERT, S.J.


3.ª Cilada: o levantar-se e o deitar-se

Eis os dois momentos perigosos.
Nos primeiros e últimos instantes do dia é que as tentações nos assaltam mais eficazmente.
O leito, que parece não ser mais do que um macio reclinatório para o nosso repouso, é, muita vez, uma como arena, em que o jovem mais luta pela conservação da sua pureza.
Repare-se nas circunstâncias: a ocasião do descanso, o vago bem estar, a imaginação vagueando, desembaraçada das preocupações do dia, a moleza da vontade e o menor domínio de si mesmo proveniente do estado de semiconsciência.
A preguiça matinal é, de todas a mais perigosa.

Evita “acariciar o travesseiro”, porque, diz um muito atilado provérbio: “O demônio oculta-se debaixo do travesseiro”.
Ao momento de nos levantarmos “os últimos minutos, dizem, são os melhores!”
O tentador é certamente deste parecer e para ele: “os últimos minutos são os melhores!”
O anjo mau diz: “Toma por modelo a marmota!”
O anjo bom diz: “Toma por modelo o galo!”

“Surgamus ergo strenue:
Gallus jacentes excitat
Et somnolentos increpat,
Gallus negantes arguit.
Gallo canente, spes redit”.

“Levantemo-nos depressa:
Canta o Galo a despertar,
Dos sonolentos à lembrança
Traz deverem madrugar.
Belo canto é d’esperança!”

Estas palavras são tiradas do hino “Aeterne rerum”…
Coisa curiosa: no Breviário, os hinos de Matinas e de Laudes dos feriados, são um incitamento para que madruguemos: são portanto quatorze hinos, quatorze elogios, ao levantar-se cedo!
E não se vá julgar que seja só o Breviário que assim fala.
Pondera as duas observações de um homem não religioso, Payot, no seu livro Educação da vontade: “diz-me a que horas te levantas, e te direi se és vicioso…
O jovem que, depois de acordar, ainda fica na cama uma ou duas horas, necessariamente é vicioso”.
Quereis ainda outros testemunhos?
“A permanência prolongada na cama deve ser proibida; insista-se em que o levantar-se seja imediatamente logo ao despertar”. (Dr. Francotte. Alguns pontos de mor.).
Habituando-se o corpo a só ter a ração de sono, absolutamente necessária, obrigamo-lo… a um sono pesado, o que é, sem dúvida, a perfeição da energia”. (Pe. Vermeersch. De Cast.).
“O madrugar conserva a saúde e a santidade”. (S. Francisco de Sales).
“O leito é destinado para se dormir”. Não havemos de servir-nos dele senão para o repouso; deve-se abandoná-lo apenas se acordar… sacudam-se bruscamente os membros e deixe-se o leito, o mais cedo que for possível, assim lucra não só a saúde do vosso corpo, mas também a da vossa alma”. (Surbled. La vie de jeune fille).

* * *
Conselhos práticos:
Imita o soldado, quando toca a alvorada (supondo que se faça) e levanta-te a uma hora certa.
Diz: “Oh! Deus, vou a tua procura desde o romper da aurora”. (S. 63).
Bebe, à noite, com moderação.
Não deves ler, na cama, pela manhã e à noite.
Evita, quanto possível, a sesta na cama.
Se o decúbito dorsal em ti provocar perturbações, não deves hesitar em mudar de posição.
Observa um porte modesto, uma posição digna.
Não gostes de um quarto muito agasalhado ou muito quente.
Não deves velar até muito tarde.
Teme o leito muito macio. Quando os alemães nos tomaram a lã e fomos obrigados a dormir sobre crinas, as costas é que realmente o pagavam, mas a virtude é que lucrava.
Por este lado mais valem as palhas que as plumas de pombinhas.

* * *
Julgamos muito oportuno insistir sobre esta ocasião de tentações, eminentemente prática, porque se nos apresenta impreterivelmente duas vezes ao dia.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...