sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A perfeita casada (XVII - Final) - Frei Luís de León

Dá-lhe do fruto de suas mãos,
e louvem nas praças suas obras.


Os frutos da virtude, sejam quais forem, São Paulo os põe na epístola que escreveu aos gálatas, dizendo (Epístola aos Gálatas, 5): "Os frutos do Espírito Santo são amor e gozo, paz e sofrimento, bondade, mansidão, fé e modéstia, e temperança e limpeza". E a esta rica companhia de bens, aos que ela mesma se parece, se acrescenta ou segue outro fruto melhor que é gozar da vida eterna de Deus. Pois estes frutos são os que aqui o Espírito Santo quer e manda que se dêem à boa mulher, e os que chama de frutos de suas mãos, ou seja, as suas obras.
Vejam agora as mulheres que boas mãos têm as boas, que ricos e proveitosos são os trabalhos que fazem. O proveito são os bens e riquezas do céu, a honra é um singular louvor na terra.
E assim acrescenta: "Louvem nas praças suas obras". Porque mandar Deus que a louvem é certeza de que a louvarão; porque o que Ele diz se faz, e porque o louvor segue como sombra à virtude, e se deve somente a ela.
E diz: "Nas praças" porque não só em segredo e em particular, mas também em público e em geral soarão seus louvores, como realmente acontece. Porque, mesmo que tudo aquilo em que brilha algum bem é olhado e apreciado, nada enche tanto os olhos, nem causa tanta satisfação nos homens como uma mulher perfeita.
Porque alguns louvam o caseiro, outros agradecem a discrição, outros elevam aos céus a modéstia, a pureza, a piedade, a suavidade doce e honesta; seu rosto limpo, seu vestido asseado, seus bordados e seu zelo; não se esquecem de suas esmolas, repetem como amaram e ganharam seu marido; se preocupam na criação dos filhos, no bom tratamento aos seus criados; abençoam por ela sua casa e elogiam os parentes; e como a santa Judite, a chamam de glória de sua linhagem e coroa de todo seu povo; e por mais que digam, mais acham para dizer.
Os vizinhos dizem isso aos alheios, e os pais com ela doutrinam seus filhos, e dos filhos passa para os netos e se estende sua fama por todo lado crescendo, e passa sua memória com clara e eterna voz, de geração em geração; e não a injuriam os anos, nem com o tempo envelhece, antes com os dias floresce mais.
E assim não é possível que decaia, nem que com a idade desmorone esse edifício com bases no céu, nem de maneira alguma é possível que morra o elogio, daquela que tudo quanto viveu, foi um perpétuo louvor da bondade e grandeza de Deus, a quem só se deve o louvor e a glória. Amém.