sábado, 13 de outubro de 2012

A POMBA E AS EXORTAÇÕES DA ESCRITURA


A Simplicidade segundo o Evangelho,
Instruções às senhoras e jovens por Monsenhor de Gibergues, 1945


Compreendereis agora porque o Evangelho apresenta a pomba, simultaneamente, como símbolo do amor e da simplicidade. É que o puro amor e a perfeita simplicidade são uma só coisa.
Também, quando o Espírito Santo, que em Deus é o Amor, desceu sobre o Cristo no dia do batismo, foi sob a forma de uma pomba que apareceu1[i]. E quando o divino Mestre quis falar aos apóstolos a respeito da simplicidade, não encontrou melhor modelo para oferecer-lhes do que a pomba, e disse-lhes: "Sede simples como as pombas."
A pomba é o símbolo da inocência, porque é incapaz de prejudicar ou molestar a qualquer pessoa. É simples na plumagem, de coloração uniforme, nem demasiado brilhante nem demasiado sombria, de tonalidade suave, que não cansa a vista, e que, entretanto, diz a Escritura: “tem reflexos de ouro e de prata.” É simples na sua alimentação, que é constituída apenas de grãos. É simples, finalmente, quando voa: não volteja como a cotovia ou a andorinha; começa por elevar-se; orienta-se depois e segue reta como uma flecha, sem desviar-se para a direita nem para a esquerda; parece antes deslizar do que voar.
Eis a imagem da simplicidade e da pureza de intenção. Representa o voo da alma inocente que se dirige a Deus. Eleva-se primeiro acima de tudo o que é criado e humano e num generoso esforço liberta-se, como em vigoroso bater de asas; em seguida, não olha nem para a direita, nem para a esquerda; não olha para si ou para as criaturas; vê apenas o fim a que aspira, a meta a que se dirige: Deus só! Essa alma fixa o olhar em Deus e vai direto a Ele, tal como uma flecha. Transborda do puro e perfeito amor de Deus. Nela vive o Espírito Santo.
Não será este o sentido das palavras da Imitação: "O homem tem duas asas para elevar-se da terra - a simplicidade e a pureza. A simplicidade reside na intenção e a pureza no afeto. A simplicidade contempla Deus, a pureza d’Ele se apossa e O saboreia?" [ii]
A Escritura Sagrada refere-se muitas vezes à pomba, apresentando-a sempre como a imagem da alma pura e simples, que apenas procura Deus.
Quando Noé, na arca, enviou a pomba pela primeira vez, ela voltou logo. E quando, pouco tempo depois, soltou a segunda, esta ainda regressou, trazendo no bico um ramo de oliveira, ao passo que o corvo ficou em terra, não retomando à arca[iii].
A alma que não é simples afasta-se de Deus facilmente, abandonando-O para entregar-se ao mundo e aí se fixar. Mas a alma simples apenas desliza pela terra; toca-a levemente; e, se dela aceita alguma coisa à vontade e por ordem de Deus, imediatamente lh’O atribui, e, num voo feliz, volta a Ele não podendo viver longe de Seu seio. "Quem me dará asas de pomba para voar e descansar"[iv] em Deus! exclama o profeta.
Também Deus prefere a alma simples a todas as outras: toma-se de amor por ela: "Como és formosa com teus olhos de pomba! exclama... Tu feriste meu coração com um só de teus olhares, com um cabelo de teu pescoço...”[v]  
"Levanta-te, apressa-te, amiga minha, pomba minha, diz-lhe Jesus, e vem refugiar-te em minhas chagas, vem esconder-te em meu coração."[vi]
Depois de nos haver mostrado a simplicidade sob a forma da pomba, o Espírito Santo nos exorta a adquiri-la: “Assim como os olhos da escrava estão fixos nas mãos de sua senhora, assim os nossos olhos estão presos no Senhor Deus."[vii]
As mãos são o símbolo da verdade.
Com um sinal da mão, damos uma ordem. Com as mãos dirigimos, segurando as rédeas de um cavalo ou o leme de uma embarcação. Quando alguém tem força de vontade, dizemos que tem a mão firme.
A comparação da Escritura significa, pois, que devemos sempre ter em vista a vontade de Deus. Devemos procurar Sua glória, como nossa suprema finalidade; mas é cumprindo Sua vontade que buscamos a Sua glória.
O Espírito Santo também descreve a simplicidade da alma simples, quando diz: Lançai vosso coração no Senhor, Ele mesmo vos alimentará. "O Senhor me governa e nada me faltará: colocou-me num lugar de pastagens...[viii] - Assim como o cervo suspira pelas fontes das águas, assim a minha alma suspira por Vós, ó Deus...[ix] Quão amáveis são os Vossos tabernáculos, Senhor das virtudes! A minha alma suspira e desfalece pelos átrios do Senhor... O meu coração e a minha carne regozijam-se no Deus vivo."[x] Em todas estas palavras inspiradas e em tantos outros passos da Escritura não será da simplicidade que se fala? Não será ela a exaltada?            
O Evangelho muito insiste nisso. “Se não vos fizerdes como meninos, não entrareis no reino dos céus.”[xi] Que mais bela imagem da simplicidade existe do que a criança ainda sem defeitos e ignorante do mundo? Ela sempre está inteiramente entregue ao que deseja: quer seja o seio de sua mãe, quer um brinquedo ou uma gulodice; além disso, nada vê; com os olhos com as mãos, com gritos inarticulados, com a agitação do pequenino corpo, atira-se àquilo que cobiça: O mundo nada mais existe para ela: absorve-a seu único desejo; o resto desaparece a seus olhos. E, em seguida, como adormece, sem nenhum cuidado, no colo da mãe.
Assim a alma simples só vê a Deus, só aspira a Deus, lança-se a Ele com todas as suas faculdades e também ela "adormece e repousa em paz no seio do Senhor."[xii]  
O Evangelho diz ainda: "Qualquer de vós que não renuncia a tudo que possui não pode ser meu discípulo.”[xiii] E alhures: "Aquele que põe a mão no arado e olha para trás não é apto para o reino de Deus."[xiv] Não será o mesmo que dizer: ide a Deus, a Ele só. Que Deus vos baste, que seja o vosso tudo! Que vosso olho seja simples.
O Evangelho acrescenta: "Bem-aventurados, os que têm fome e sede de justiça...[xv] Buscai, em primeiro lugar o reino de Deus e a Sua justiça. " Não vos inquieteis nem pelo que comereis, nem pelo que vestireis. .. Vosso Pai celeste bem sabe do que precisais.[xvi] "Não será ainda dizer: contemplai a Deus, contentai-vos com Deus, praticai a simplicidade!
----------------
A alma da criança está isenta de enfermidades: não se lembra das injúrias recebidas, mas até se aproxima daqueles que a ofenderam como se fossem inimigos e como se nada lhe houvessem feito. Mesmo que a mãe a castigue e lhe bata, a criança procura-a sempre, preferindo-a a todos. Se lhe apresentardes uma rainha com seu diadema, ainda assim não a preferia à própria mãe, embora coberta de andrajos. Exige apenas o necessário; quando está farta de leite, abandona seio.
Não é sensível aos males que nos acabrunham, como a perda da fortuna e tantos outros; não se regozija como nós por coisas vãs, não admira a beleza dos corpos. Eis a razão por que Jesus dizia: "O reino de Deus pertence àqueles que se assemelham às criancinhas." - Mandava-nos fazer conscientemente aquilo que as crianças fazem por instinto. (Homilia de São João Crisóstomo, 62 - sobre São Mateus.) "O Senhor nos ensina que, para entrar no reino dos céus, devemos ser como as criancinhas, isto é, corrigir todos os vícios do corpo e da alma pela simplicidade das crianças." (santo Hilário) - Comentários sobre São Mateus, c. 18.)

Quando Jesus fala a Maria do “único necessário” mostrando-lhe Maria, sentada a Seus pés, que O olha, não estará ainda demonstrando a suprema importância da simplicidade?



[i] São Mateus, III, 16 - São Lucas, III, 22. 
[ii] Imitação de Jesus Cristo, II, IV, 1. 
[iii] Genesis VIII, 6 a 12.
[iv] Salmo LIV, 7.
[v] Cântico IV, 1-9.
[vi] Cântico II, 13-14.
[vii] Salmo CXXII, 3.
[viii] Salmo XXII, 1-2.
[ix] Salmo XLI, 1.
[x] Salmo LXXXIII, 1-2.
[xi] São Mateus 4, 20.
[xii] A simplicidade unida à prudência, eis o auge da sabedoria; eis o que constitui uma vida angélica.
[xiii] São Lucas XIV, 33.
[xiv] São Lucas IX, 62.
[xv] São Mateus V, 6.
[xvi] São Mateus VI, 35.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...