domingo, 19 de setembro de 2010

Santíssimo Sacramento, a vida da Igreja - II Parte

SANTÍSSIMO SACRAMENTO
A VIDA DA IGREJA

 
II PARTE - SACRIFÍCIO DA MISSA
 
Primeiro e antes de todos os outros, o adorável sacrifício da Missa, onde Deus é ao mesmo tempo a vítima, o padre e a majestade a quem a homenagem é oferecida. É um verdadeiro sacrifício expiatório, em favor dos vivos e dos mortos; não é uma vã sombra do sacrifício da cruz; é o mesmo sacrifício, renovado e continuado em seus mistérios não sangrentos. É infinito em si mesmo; só a nossa devoção ou nosso fervor, maior ou menor, pode impor-lhe limites.
 
Se contemplarmos a criação de Deus, veremos que ela contraiu com Deus quatro dívidas infinitas, incapazes de serem saldadas. Deve a Deus louvores infinitos, por causa das perfeições infinitas do Criador; uma expiação infinita, por causa dos pecados da criatura; ações de graça infinitas, por causa das misericórdias abundantes do Senhor; enfim, súplicas infinitas, por causa das necessidades sem fim da natureza humana. O mesmo coração imaculado de Maria, reunido ao vasto império da santidade Angélica, sendo tudo elevado a milésima potência, não poderia satisfazer a uma só destas obrigações. Mas o Sacrifício da Missa os solve todas um milhão de vezes cada dia, e muito além do que é devido.
 
O Santo Sacrifício é o canal, pelo qual todas as graças são concedidas a terra. Jamais o amor teve graça que não lhe fosse concedida senão em razão da Missa. Inúmeras calamidades temporais foram afastadas mediante este divino Sacrifício. Do altar, onde é ele oferecido, sobe continuamente para a Majestade da Santíssima Trindade um suave incenso de adoração, de intercessão, de ação de graças, de satisfação e de suplicação; e estas piedosas preces, formuladas pela palavra imperfeita do homem, possuem um valor igual ao valor infinito do Deus Increado!
 
Poderíamos multiplicar as palavras sem por isso dizer mais. Cada coisa, como o demonstra Santo Tomás, que é dita ou feita na Missa, é em si um mistério celeste e, como todas as outras coisas deste mundo, possui um Anjo, cujo nome omnipotente e glória fulgurante não nos são revelados; este Anjo leva a oblação ao trono do Omnipotente.
 
O Sacrifício, prosseguindo em seu curso, desenrola a nossos olhos toda a história da Paixão do Salvador, mostra-nos a ressurreição de uma alma resgatada e nos retrata a sorte e os destinos do corpo místico de Jesus Cristo. Numa palavra, a terra vive, move-se e acha sua existência no sacrifício da Missa. Não há bem sobre a terra, do qual não seja este sacrifício a causa e origem. A Missa é a única barreira oposta as incursões devastadoras do Inferno.
 
Não há alívio para os sofrimentos do purgatório que dela não proceda, como um bálsamo salutar, do seu cálice abundante; aumento de glória nos céus, que não seja devido ao Santo Sacrifício; não há novo hóspede da Jerusalém celeste, do qual a adorável Vítima não tenha sido o guia para são e salvo ir aonde o espera uma paz eterna.
 
(O Santíssimo Sacramento ou As obras e vias de Deus, pelo Pe. Frederick William Faber, edição de 1929)

PS: Grifos meus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...