quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Ornamentos da donzela cristã !

Firmeza/ Brandura/Altruísmo

Caráter é um modo de pensar e agir adquirido por decidida determinação da vontade, que domina as faculdades da alma e lhe imprime um constante equilíbrio moral. Será um louvor para ti a afirmação de que possuis um caráter firme e positivo; pelo contrário, será uma afronta, o afirmar que não tens caráter.

Somente quem possui caráter firme e nobre merece a nossa confiança em qualquer circunstância. Quem confia num homem sem caráter, se verá de ordinário amargamente enganado. Viver ao lado de pessoas de caráter nobre é sobremodo agradável e benéfico; essas pessoas nos comunicam coragem para o bem e confiança no futuro.

Ao invés, o tratar com pessoas de mau caráter torna-nos a vida difícil; sentimo-nos como que apertados num cárcere e atormentados pelo desassossego e aborrecimento. Pelos benefícios que influi do bom caráter, podes deduzir quão importante seja que desde a meninice trabalhes na formação e enobrecimento do teu caráter.

Quão são, pois as qualidades do caráter para que se possa denominá-los bom?


1ª Firmeza e inflexibilidade

Não sejas como o caniço ou o salgueiro, que se curva profundamente, ao sabor do vento. Sê como o robusto e vigoroso carvalho, que ergue livre e corajoso a sua fronde para o alto, em direção ao céu.

Forte e inabalável! Tempestades e tormentas sacodem-no sem cessar, esbravejam em torno daquela soberba copa, agitando-lhe os galhos e a folhagem, e não obstante, mantêm-se o tronco rijo, tranqüilo e imóvel, como nos dias calmos e lindos da primavera.

Não há quem o vergue nem arranque nas tempestades; embora os esguios pinheiros e outras árvores, que o circundam, venham abaixo com estrondo, o carvalho persiste ereto e desafia qualquer embate dos vendavais.

...É o Cristianismo rico em pessoas desta natureza. Lembra-te dos santos mártires dos primeiros séculos da Igreja. Não permitiam que nada lhes abalasse ou quebrantasse a convicção; nem o suplício da tortura, nem as chamas das fogueiras, nem a fúria dos animais ferozes.

Se quiseres adquirir tamanha firmeza de caráter, cumpre que te habitues, desde a juventude, a não seguir, em teu proceder a vontade dos homens caprichosos, e sim o desejo de Deus eterno e imutável, que te julgará depois da morte.
Esta há de ser sua divisa: “Deve-se antes obedecer a Deus que os homens” (Atos, 5 29)

Adquirirás esta firmeza e independência interior, se te exercitares desde cedo no domínio de ti própria. Para o conseguires, recusa-te, por vezes, alguma coisa que te seria lícito. Ainda que seja isto uma ninharia, a abnegação dessas pequenas coisas dará pouco à tua vontade a firmeza do aço.

Guarda-te, sobretudo da insensata inconstância, que perde inteiramente o objetivo da ação e por isto gira, ora para cá, ora para cá, ora para lá, sem nenhum alvo determinado.

Procura finalmente fortificar a tua vontade fraca e inconstante por meio da oração metódica e da assídua recepção dos santos Sacramentos. A graça de Deus favorecerá o teu sincero esforço e verificarás dentro em breve que o teu caráter adquiriu força e constância.


2º Amabilidade e brandura

Se o caráter possuir apenas inflexibilidade e firmeza, degenera em capricho e rigidez, e tornar-se-á desagradável e repulsivo. À firmeza cumpre aliar a brandura e mansidão.

Sê firme e inflexível no tocante aos princípios essenciais, e inabalavelmente fiel ao cumprimento consciencioso dos deveres; contudo, evita toda aspereza no trato com teus semelhantes e mostra-te afável e branda com todos.

...Assim deve ser a jovem virtuosa: firme nos princípios, tenaz e enérgica nas atitudes, avessa à insensibilidade e grosseira; compassiva e amável; indulgente e atenciosa; e assim, sua vida esparzirá felicidade, alegria, prosperidade e bênçãos.

Se quiseres adquirir esta doçura de caráter, impõe-te seriamente o esforço de combater, com energia, a tua natureza arrebatada e a tua propensão para a cólera. Habitua-se a falar e tratar com todos pacificamente e com brandura.

O Divino Salvador elogia a mansidão, dizendo: “Bem-aventurados os mansos, porque eles possuirão a terra”. (Mt., 5,4)

... Não te obstines na tua opinião, nem tomes facilmente resolução irrevogável em coisas secundárias, se não estiveres seguramente convencida diante de Deus, de que isso em quaisquer circunstâncias constitui um dever imutável.

Nas pequenas contrariedades e dissabores, não te exaltes intimamente, nem profiras palavras de enfado; domina-te, corajosamente e não permitas que se altere o teu humor. Se aprenderes desde cedo a aliar doçura e indulgência, à firmeza e energia, evitarás, muitos contratempos e situações dolorosas...


3º Altruísmo e desinteresse

Quanto é feio e detestável o egoísmo!

Já tiveste ocasião de observar como procede quem ambiciosa alguma coisa? Torna-se completamente possuído pelo objeto da sua cobiça e não atenta a outra coisa.

Tudo o mais deixa-o numa completa indiferença; despreza até as coisas mais importantes, torna-se desleixado em relação aos deveres e até inconsiderado nas relações sociais, pois o objeto de sua cobiça absorve-o completamente.

É exatamente o que sucede com a jovem egoísta. Só pensa em si, naquilo que se relaciona consigo, que lhe interessa. Considera só a si mesma e tudo o mais – circunstâncias, coisas e pessoas – vê tão somente através do prisma do seu egocentrismo.

O seu maior gosto é ouvir falar de si mesma, principalmente se possui voz agradável e sabe discorrer com facilidade e desembaraço; sua opinião pessoal, que sempre manifesta com prazer, afigura-se-lhe naturalmente a melhor.

Não fala senão de si, dos seus trabalhos e realizações, dos seus planos e esperanças, das suas relações e perspectivas.

Volta-se, apenas, para os seus desgostos e sofrimentos e não tem a mínima consideração para com as dificuldades e dores alheias.

Como é feio e desagradável a atitude de uma jovem egoísta!

Jovem, diante destas considerações, pondera os efeitos perniciosos do egoísmo e procura corrigir-te desta paixão.

Guarda-te, portanto, do amor próprio desordenado; aprende a pensar no teu próximo, a considerá-lo, servi-lo e proporcionar-lhe alguma alegria, mesmo à custa de sacrifícios. É o que de modo tão perfeito te ajusta ao espírito cristão e enobrece teu caráter mais do que qualquer outra coisa, grangeando-te em alto grau a estima e o respeito dos teus concidadãos.

Que louvores não é digna a jovem que se sujeita a muitas privações, a fim de proporcionar alegria a seus pais ou prestar-lhes auxílio nas dificuldades financeiras. Com que reverência se deverá olhar para uma moça que, em muitas relações se restringe, talvez até imponha grandes sacrifícios para cuidar da educação e futuro de seus irmãozinhos!

São estas, pois, as três qualidades que ornam e embeleza o caráter: firmeza, doçura e altruísmo. Esforça-te, jovem, para adquiri-las; não será um mês, nem talvez num ano, que chegarás a conquistá-las perfeitamente.

Isso te custará longos anos de esforços e combates. Pode acontecer que, apesar da tua boa vontade, caias em pequenas ou grandes faltas. Não percas, todavia, a coragem; trabalha sempre com mais valor em teu aperfeiçoamento, e convence-te do que os teus esforços e lutas lograrão por fim o merecido triunfo.

Com o passar dos anos plasmarás o teu caráter irradiando do teu espírito brilho mais belo e mais intenso do que o ouro mais fino.

(A donzela cristã - Pe. Matias de Bremscheid)
PS: Grifos meus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...